sexta-feira, 24 de abril de 2015

Diferenças entre educação doméstica e educação escolar



Aos pais cabem,as obrigações de manter e educar os filhos conforme a Constituição e as Leis do país, asseguradoras do direito da criança e do adolescente à escola.
Na família, as crianças vão aprendendo a cumprir papéis e assumir valores básicos, esta é um agente original e imediato de socialização da criança.
A educação escolar dada em instituições próprias de ensino torna-se uma importante agência de socialização secundária para a vida social e formação da personalidade.
Atitudes desregradas dos filhos perante seus pais acabam sendo espelho do que eles são na escola, a criança ou  adolescente no convívio escolar é reflexo da atenção que tem em casa, ou fruto da atenção que deixam de ter.
A educação familiar sempre será a base para o comportamento do indivíduo em formação, na sociedade em que está inserido.
É muito preocupante perceber que alguns pais fogem de certas responsabilidades, como por exemplo, passar para seus filhos noções de flexibilidade, convivência, ética, maturidade e comunicação.Deixando de conversar com seus filhos sobre sexo, drogas, respeito com as pessoas (professores, diretores, idosos, etc...), e relacionamentos com os outros (relacionamentos interpessoais).
Alguns pais acreditam que o enfoque desses temas são papel da escola. Mas por serem fundamentais a educação, não devem ser ensinados nas escolas: a família deve ser responsável por elas.
Os grandes diferenciais hoje, atitude e caráter, são desenvolvidos desde a primeira infância. A escola pode até ajudar, mas a família é determinante.
Devido a isso o aluno algumas vezes procura o professor para orientá-lo nesses pontos onde a família deixou a desejar. Mas a grande maioria, pelo contrário, desrespeita os professores e demais membros da equipe educacional porque não conheceram limites em casa (muitas não respeitam nem aos seus pais, como respeitariam estranhos?).
A instituição escolar, enquanto um lugar específico de transmissão de conhecimentos e de valores, desempenha funções significativas para a vida social. Ela faz parte da denominada socialização secundária, lembrando que a socialização primária é feita pela família.

A escola é responsável pelo pleno desenvolvimento da aquisição de conhecimentos e socialização em matéria de normas e valores do convívio social. Responde a um dos pilares da igualdade de oportunidades, através da educação infantil, o ensino fundamental e o ensino médio, etapas constitutivas da educação básica.
Os pais  precisam incentivar seus filhos quanto a desenvolverem alguns hábitos:
Hábito de Leitura
‘O hábito da leitura é básico em um mundo que exige formação continuada’, Os livros ensinam a pensar, imaginar, criar, analisar o mundo e as pessoas. ‘Por isso, vale a pena estimular seu filho a ler, mas também é ótimo compartilhar os livros e conversar interessadamente sobre o que ele está lendo.
Sobre convivência social
Estabeleça limites claros e exija que seu filho os cumpra. Mostre a importância de respeitar regras, como horários, uso do uniforme escolar e execução das tarefas escolares. Ensine-o a perceber os códigos sociais de cada situação – como adotar postura e roupa adequada ao ambiente e a desenvolver empatia pelas necessidades e valores das outras pessoas.
O valor da ética
Valores claros dentro de casa contribuem para consolidar atitudes éticas. ‘Pais que não respeitam semáforo, jogam lixo pela janela do carro e desperdiçam água e energia não podem esperar que o filho tenha condutas corretas’, ‘Os exemplos começam em casa.
Consequências das escolhas
Converse com seu filho sobre escolhas que ele deve fazer, fale do que é certo e errado, e como a mídia influencia negativamente nessas escolhas.
Dicas para desenvolver maturidade
Encarregue seu filho de ajudar nas tarefas domésticas e cobre-o por elas. Diante de pedidos fúteis, procure deixar clara a diferença entre ‘querer’ e ‘precisar’. Exigir que peça desculpas quando erram pode soar artificial, mas é importante para que ele tome consciência das possíveis consequências dos seus atos.
Desenvolvimento da capacidade de comunicação
Observe a maneira como seu filho se expressa. Analise se ele usa muitas gírias e se consegue estabelecer uma linha de raciocínio lógica. Estimule a discussão sobre temas polêmicos e, principalmente, converse muito a respeito de sua rotina na escola e com os colegas.
Apresente uma religião
Mostre a seus filhos a importância de ser crer em Deus, independente de qual seja a religião escolhida é importante que a criança cresça conhecendo valores e limites dentro de Igreja.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Estupro

Estupro é a utilização da violência para realização do coito vaginal com a vítima.Até 1975, quando uma mulher era violentada, tinha de provar que havia tentado resistir. Também levava-se em consideração a maneira como a vítima estava vestida e até mesmo sua vida pregressa. Considerava-se que se a mulher estivesse vestida de forma tida como provocante, isso seria uma atenuante para o agressor. Da mesma forma, se ela tivesse vários parceiros também.O estupro seria uma forma consciente de manter as mulheres em estado de medo e intimidação. Estatísticas revelam que o estupro de homens contra homens é mais comum do que se imagina e apresenta baixo índice de denúncia. A violência presumida também  conhecida como violência ficta é aquela que independe se ocorreu ou não a violência.pois mesmo que não tenha ocorrido ela é presumida,quando a vitima não tem capacidade, seja ele passageira ou permanente, de oferecer resistência é chamando de abuso sexual pois o agente se aproveita da incapacidade de resistência da vítima.
A presunção da violência nos crimes sexuais está prevista na maioria dos Códigos Penais, em face da  preocupação do legislador com determinadas pessoas que são incapazes de consentir ou de manifestar validamente o seu dissenso.
Grande parte dos estupros contra a mulheres é praticado em criança e adolescente, são membros da própria família ou completamente desconhecidos. No caso de estupro praticado pelo pai ou qualquer outro membro da família, o vinculo familiar fica severamente comprometido, devido a ter acontecido em um ambiente primitivo onde a criança inicia sua aprendizagem, inclusive os comportamentos que se referem a sexualidade.,podendo desencadear o Quadro de Deficit de Habilidades Sociais, que se caracteriza pela incapacidade de estabelecer um conjunto de comportamentos emitidos por  este individuo em seu contexto interpessoal expressando assim sentimentos, atitudes, desejos opiniões adequados as situações.A família tem influencia no silencio da criança por ser uma agencia controladora de seu comportamento.Os crimes sexuais podem resultar em lesões graves e até morte, mas as consequências de caráter psicológico para as vítimas são tão ou mais graves que a violência física.Pois o indivíduo saudável precisa esta funcionando de uma forma integral, psicológica, social,e fisicamente estável.
Existem dois tipos de violência sexual, crime sexual bárbaro: que são aqueles que resultam em homicídios. E o crime sexual violento onde o agressor recorre da violência para obter a submissão da vítima a práticas sexuais desejadas pelo agressor.Há doze milhões de crimes sexuais no mundo. Só nos EUA, há 683 mil estupros por ano, enquanto que na cidade de São Paulo há o registro de 42 mil estupros por ano.
É importante haver a quimioprofilaxia para infecção de HIV, nos casos elegíveis e corretamente indicados. Outras DST, assim como as hepatites B e C, também requerem acompanhamento médico.Dados trágicos incluem também uma possível gravidez por violência sexual, já que metade das mulheres estupradas está no período fértil. A estimativa da taxa de gravidez por violência sexual tem uma incidência de 1% a 5%.Em tais gestações indesejadas, por conta do estresse pós-traumático gerado e outros transtornos mentais ou comportamentais, deve-se oferecer um amplo apoio psicológico aos envolvidos.
Os efeitos emocionais são os principais: intensos, devastadores e irrecuperáveis. Até mesmo alguns profissionais despreparados que atendem tais pessoas podem, sem dúvida, agir de forma preconceituosa agravando os danos psíquicos.
As Organizações das Nações Unidas (ONU), definem violência sexual como "qualquer ato de violência baseado nas relações de gênero que resulte ou possa resultar em dano ou sofrimento psicológico, sexual ou físico, incluindo ameaças, coerção, privação arbitrária da liberdade, seja no âmbito público ou privado.
Os profissionais da Saúde são os principais responsáveis por identificar e notificar às autoridades quando ocorre caso de maus tratos, a fim de que se possam desencadear os mecanismos de proteção e tratamento. Neste contexto, é imprescindível que estes profissionais estejam preparados para identificar indícios sugestivos de maus tratos e violência, bem como capacitados para atuar e conduzir o cuidado às vítimas de violência sexual durante o tratamento Estudos relatam que os registros de abuso sexual no Brasil são semelhantes aos casos Norte Americano. Estima-se, nos Estados Unidos, que 16% das vítimas de estupro estejam abaixo de 12 anos. Quando a vítima tem menos desta idade, a probabilidade do agressor ser uma pessoa da família é de 46% (no Brasil é de 47%) e de ser o próprio pai ou padrasto é de 20%. Em apenas 4% dos casos o agressor é um desconhecido.
Fatores desencadeantes do estupro:
* Uso de drogas e álcool.
* Fantasias sexuais de coação.
* Tendências impulsivas e anti-sociais.
* Preferência por sexo impessoal.
* Hostilidade em relação às mulheres.
* Supermasculinidade.
* Histórico de abuso sexual e físico na infância.
* Testemunhar violência familiar quando criança.
* Associação com pessoas sexualmente agressivas e delinqüentes.
* Ambiente familiar caracterizado por violência física e poucos recursos.
* Relacionamento familiar fortemente patriarcal.
* Ambiente familiar de pouco apoio emocional.
* Falta de oportunidades de trabalho.
* Falta de apoio institucional da polícia e sistema judiciário.
* Tolerância geral pela violência e abuso sexual dentro da comunidade.
* Sanções fracas da comunidade contra pessoas que realizam violência e abuso sexual. * Pobreza.
* Normas sociais que apóiam violência sexual.
* Normas sociais que apóiam a superioridade masculina.
* Normas sociais que mantém a inferioridade da mulher e submissão sexual.
* Leis fracas e políticas relacionadas à igualdade sexual ruins.
* Alta tolerância ao crime e outras formas de violência.

Conseqüências físicas da violência e abuso sexual:
* Dor pélvica crônica.
* Síndrome pré-menstrual.
* Transtornos gastrointestinais.
* Complicações ginecológicas e na gravidez.
* Dor de cabeça freqüente.
* Dor nas costas.
* Dor na face.
* Incapacitações que impedem o trabalho.
* Mais de 32.000 gravidezes resultam de estupro todos os anos

As consequências do crime de estupro que além de ser um ato violento, produzem sequelas irreparáveis para as vítimas, principalmente para as do sexo feminino que vão além da possibilidade de perder o relacionamento com os seus companheiros devido ao pensamento machista ainda existente, ainda fixa-lhes permanentes traumas psicológicos, inseguranças, medos, fobias, aumentando substancialmente tal problemática quando do estupro resulta gravidez.
O autor do crime de estupro do sexo masculino parece não ter sentimento de culpa e, geralmente quando chega a confessar o crime ou crimes inerentes, faz normalmente e até orgulhosamente, como se estivesse contando um filme, um fato fora da realidade, desprovido de sensibilidade. Por vezes se sente poderoso, superior, nega suas carências, suas dificuldades, demonstra ser completamente desconectado com sentimentos próprios e muito menos com os sentimentos alheios, com os sentimentos das vítimas, dos seus familiares, do que pensa a sociedade a seu respeito.
O praticante usual do crime estupro é um maníaco sexual cuja raia da insanidade se aproxima até do criminoso psicopata, pouco liga para as consequências nefastas que advêm até para si próprio.


Mas, a destruição provocada pelos estupradores é bem mais ampla. Não só as vítimas do crime hediondo e suas famílias são destruídas, mas suas próprias famílias são destruídas pela vergonha do crime hediondo; quando têm mulher e filhos, a capacidade destruidora dos estupradores é incomensurável. No Brasil, graças à brandura de nossa legislação, os estupradores passam um tempinho na cadeia e voltam ao mundo, e logo farão novas vítimas. Alguns acreditam que o criminoso não se regenera; estuprador/pedófilo não muda nunca, pois os padrões morais da sociedade dos humanos não lhe dizem respeito.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Páscoa

Em nossos dias, num mundo que se tornou estranho e até hostil à fé, as famílias cristãs são de importância primordial, como lares de fé viva e irradiante. É no seio da família que os pais são para os filhos, pela palavra e pelo exemplo,os primeiros mestres da fé.
O lar cristão é o lugar em que os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. Por isso, o lar é chamado, com toda razão, de “Igreja doméstica”, comunidade de graça e de oração, escola das virtudes humanas e da caridade cristã.
Os pais são os primeiros a transmitir a fé, os valores cristãos e universais e uma boa educação para os filhos. Pai e mãe são mestres da vida, pela palavra e pelo exemplo eles nos ensinam coisas que vamos levar para a vida toda, que irão influenciar as nossas escolhas e, principalmente, formar a nossa consciência do bem e do mal.
Como explicar para as nossas crianças e jovens que,na Páscoa, o mais importante é a festa da vida que vence a morte? A Páscoa é uma festa de família. É preciso ter a coragem de celebrar a fé em família e ensinar o verdadeiro sentido de ser cristão. Celebrar a Páscoa é renascer com Cristo ressuscitado, é passar da morte para a vida, é vencer o pecado e a morte.
É importante explicar às crianças, conforme elas vão crescendo, o significado de toda celebração. “O mundo é voltado para o consumismo e, às vezes, as histórias se perdem e resta somente um ovo de chocolate”. Independentemente da religião à qual se pertence, a Páscoa é uma festa bem tradicional e cheia de valores. “Cada família pode aproveitar as crenças, histórias e tradições existentes sobre a Páscoa, o significado presente em tudo isso, e passá-lo”.
A Páscoa – assim como o Natal – envolve uma experiência fantasiosa para as crianças: a existência de um personagem associado ao espírito da data.
Não existe uma idade certa para a descoberta da verdade.Não se deve mentir.

Ovos de Páscoa, coelho da Páscoa, assim como Papai Noel, foi criado pelo comércio para estimular as vendas, então se pode dar chocolates,assim como presentes no Natal, mas não se deve enganar as crianças com essas fantasias, antigamente se achava bonito ver a criança acreditando em tais fantasias, hoje apenas se estimula a mentira e a enganação no ambiente doméstico, estimulando seus filhos a enganarem também. Com isso não se diz aqui , que não se deve presentear ou dar ovinhos de Páscoa, mas se deve dizer a verdade sempre.

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Gladiadores do Altar X Extremistas Muçulmanos



Um vídeo publicado pela Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) do Ceará na internet mostra jovens marchando, batendo continência e gritando que estão "prontos para a batalha" durante um culto realizado em Fortaleza.

Os jovens fazem parte de um programa da igreja chamado Gladiadores do Altar, voltado à preparação de rapazes de "diversas idades para servir a Deus no Altar", segundo informa o site da Iurd. O programa, que é ligado à Força Jovem Universal, foi lançado no ano passado.

"O projeto realiza reuniões semanais com os rapazes que estão dispostos a abrir mão de suas vidas para que outras pessoas sejam ajudadas, cumprindo assim o que Jesus disse: 'Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura'", diz o site da Universal.

A igreja publicou o vídeo no Facebook no dia 15 de fevereiro e, até a noite desta segunda-feira, 2, tinha mais de 921 mil visualizações. Na gravação, dezenas de rapazes surgem marchando até o pé do altar, onde fazem uma espécie de juramento, no qual afirmam que "estão prontos para a batalha".
"Graças ao Senhor hoje estamos aqui prontos para a batalha, e decididos a te servir. Somos gladiadores do seu altar. Isso é uma decisão. Todos os dias enfrentamos o inferno confiantes em sua santa proteção", gritam os jovens. Ao fim do discurso, perguntados pelo condutor do juramento "o que os gladiadores querem?", eles respondem em coro: "O altar, o altar, o altar".

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) postou uma foto dos Gladiadores do Altar em seu perfil do Instagram, com um texto no qual se diz chocado com a "milícia" que, segundo ele, vem sendo formada pelo "fundamentalismo religioso do País".
O cartunista paulista Vitor Teixeira é o centro de uma polêmica que coloca em debate a liberdade de expressão no Brasil e que reacendeu o debate sobre liberdade de imprensa após o recente episódio francês do massacre em Charlie Hebdo — tomando, é claro, as devidas proporções.

Por conta de uma charge (imagem acima) que criticava a formação do polêmico grupo Gladiadores do Altar, da Igreja Universal. A igreja entrou com notificação extrajudicial na qual pedia a retirada do ar da página do cartunista no Facebook. Após negociação, ele deletou apenas a imagem e seguiu com seu trabalho no local.

“Eles [Universal] me mandaram  uma notificação na qual pediam para eu deletar a página. Acontece que ali está meu trabalho e, sem ela, eu não tenho como trabalhar. Então sugeri apenas que a imagem fosse retirada e eles topara”, afirma Vitor em entrevista ao Yahoo.

A situação, porém, abriu precedente para a discussão sobre a censura. O cartunista nega que tenha se sentido censurado, preferindo usar a palavra “pressionado”. Vitor cita que, por conta do poder financeiro e midiático da Universal, sentiu-se pressionado a retirar a charge, que ele faz questão de apontar como uma crítica apenas aos Gladiadores e não à Universal ou qualquer um de seus fiéis.

“Acredito que cada indivíduo tem o direito de ter sua fé e acreditar no que quiser, minha crítica nunca foi contra isso, é específica ao grupo”, afirma ele. “Sempre deixo claro que minha intenção é essa, de criticar o grupo e, agora, com toda essa repercussão, falar sobre liberdade de expressão”.

Logo que a charge foi retirada do ar, internautas manifestaram seu descontentamento com a atitude da Universal e compararam o caso com o massacre da revista Charlie Hebdo, na França, que foi invadida por extremistas muçulmanos por conta de uma charge satírica feita com o profeta Maomé.
Acredito que essas pessoas estão em dois grupos ou são ignorantes demais e passaram por uma lavagem cerebral devido a o excesso de credulidade, ou tem impulsos agressivos que precisam ser tratados.
A falta de respeito deles me causa nojo.
Na casa do meu Pai existem várias moradas, será que esse grupo está pensando que essas moradas são casinhas, porque na verdade, são várias religiões que estão ligadas pelo mesmo poder de Deus.