sábado, 30 de abril de 2016

Estudando a psicologia 1 : O que é Escolha Profissional ?

A partir de hoje estarei colocando resumos de textos de psicologia para estudos, muitos deles já foram usados em concursos e aqui pretendo fazer um breve resumo do que se trata cada assunto, citando no final de cada texto a fonte.
Começaremos com escolha profissional.
O que é escolher? É decidir entre uma série de opções aquela que nos parece melhor, para isso é preciso avaliar os prós e os contras de cada possibilidade e saber que, fazendo uma opção, estamos deixando de lado todas as outras.
É deixar de lado aquilo que n~eo é escolhido e aceitar as consequencias da decisão.A escolha profissional constitui um processo contínuo que vai da infancia até a idade adulta.
O processo de escolha compreende três momentos:
1- Fantasia: Compreende várias situações na infância entre 4 À 12 anos.
2- Tentativa: Entre 12 a 17 anos, o adolescente  baseia as escolhas primeiro em suas capacidades e finalmente em seus valores.
3- Realista: Ocorre entre os 17 e 21 anos, implicando a escolha de uma profissão.É a fase da exploração de um curso superior ou técnico.O mesmo começa a tomar as primeiras iniciativas que o levarão a concretizar a escolha feita.
A informação profissional pode ser obtida através de catálogos fornecidos pelas universidades, que geralmente trazem informações referentes as atribuições do profissional, requisitos para administração e mercado de trabalho.
Orientação profissional é o trabalho que leva o indivíduo tomar contato com ele mesmo, conhecer-se melhor, descobrir quais valores, interesses, motivações e potencialidades podem ser desenvolvidas no trabalho escolhido.
A orientação profissional ocorre em: escolas e consultórios psicológicos, e geralmente é feita em grupo.
O orientador jamais será capaz de descobrir suas vocações escondidas ou decidir qual a melhor profissão para o individuo seguir.
Nos encontros em grupo, os participantes devem discutir o que mais gostam de fazer, quais são os interesses de cada um, que carcteristicas da profissão chama mais atenção, que são,oque esperam daprofissão escolhida.Algumas vezes visitam locais de trabalho onde é exercida cada profissão.
As influencias sociais e a expectativa da família colaboram para que esse indivíduo escolha, ou seja o que a família imaginou que ele(a) fosse, ou qual profissão é mais   popular e tem retorno financeiro mais rápido.
Vocação é a realização de um determinado interesse somado à sua potencialidade, está ligada a aspectos puramente pessoais e individuais.A vocação não é algo inato, mas sim algo que pode ser desenvolvido a partir da experiência de vida.
Existem testes elaborados por psicólogos que auxiliam a detectar esses interesses, objetivam sistematizar e organizar os interesses através de uma série de atividades nas quais se deve assinalar as que são de sua preferencia.
Existem também os testes de aptidão e inteligência.Onde se refere que aptidão são:
1- Fatores inatos presentes desde o nascimento que diferenciam as pessoas umas das outras.
2- Facilidade para aprendizagem de determinadas tarefas.
3- Tendencia natural para alguma coisa.
As aptidões podem desenvolver-se pela experiência prática, portanto o resultado de teste pode serr diferente conforme o momento da pessoa.
O teste não irá definir uma profissão nem resolver o problema de indecisão- apenas trará alguns dados objetivos que serão confirmados ou não, através de sua análise junto com a pessoa envolvida.
A profissão surge como complemento, e não como um fim objetivo, já que o ser humano é uma gama de possibilidades.

Fonte:  Soares, Helena- O que é escolha Profissional , Editora Brasiliense - 1988

sábado, 23 de abril de 2016

Sinais de esgotamento mental



1. Tempestade em copo d’água
Quando, mesmo diante do menor dos problemas, a pessoa se descontrola já é um sinal claro de esgotamento.
Nessa situação ela está tão exaurida em suas capacidades mentais que não consegue mais distinguir com clareza um problema simples de algo realmente grande.
2. Cansaço crônico
Sentir-se exausto é um dos principais sintomas do esgotamento.
Não se trata apenas em sentir-se extremamente cansado uma vez ou outra. Mas, em um sentimento constante de cansaço. A pessoa sente-se o tempo todo sobrecarregada e esgotada.
3. Imunidade baixa
A adrenalina que o corpo produz nas situações de estresse ajuda a pessoa a estar em alerta. Mas produz estragos no sistema imunológico.
Com a resistência em baixa, a pessoa tende a ficar doente com mais frequência. Doenças que podem ir desde resfriados, crises de enxaqueca, dores de estômago até palpitações no coração.
4. Sentimento de ineficiência
A pessoa mentalmente esgotada sente que não consegue atingir seus objetivos na vida.
Com esse sentimento, a confiança da pessoa vai pelo ralo, e ela se sente ainda menos capaz diante dos desafios. O que gera efeitos desastrosos na autoestima.
5. Apatia generalizada
O entusiasmo pelo trabalho apaga e parece que tudo e todos são motivos de descontentamento para a pessoa esgotada.
Ela não sente mais motivação no que faz e se contenta em fazer o mínimo. Muitas vezes, não tem motivação nem para fazer as coisas que gosta.
6. Perfeccionismo exagerado
Pesquisas recentes demonstram que as pessoas perfeccionistas têm um risco muito maior de esgotamento. Isso porque o padrão de perfeição criado por elas consome muita energia, o que leva a um desgaste ainda maior.
Esse tipo de pessoa precisa avaliar com sinceridade se a perfeição é realmente essencial para cada projeto específico. A resposta geralmente é “não”.
7. Sem paradas
Um tempo para recuperação é muito importante na prevenção do esgotamento.
É preciso encontrar maneiras de se recuperar durante o trabalho (em pequenos intervalos), mas também após o trabalho (à noite, nos finais de semana, nas férias).
Quando falamos em descanso, não estamos nos referindo a dormir apenas. Mas, também, em dedicar-se a atividades que dão prazer – uma atividade física, um passeio em família, um hobby.
8. Muitas demandas do trabalho X poucos recursos de trabalho
Podemos explicar as “demandas do trabalho” como tudo aquilo que precisa ser feito – e, portanto, que consome esforço e energia.
Por “recursos de trabalho” podemos entender tudo aquilo que motiva, que nos ajuda a atingir os objetivos.
As demandas do trabalho não são necessariamente ruins. Mas, por causa da energia que consomem, precisam ser equilibradas com os recursos de trabalho.
O dinheiro é um recurso de trabalho muito importante – a expectativa da remuneração que vai receber motiva a fazer o que precisa ser feito. Mas esse não deve ser o único recurso de trabalho.
A alegria e a satisfação decorrentes da atividade exercida são muito importantes também (talvez até mais que o dinheiro!).
Entretanto, nem todos têm a oportunidade de fazer profissionalmente aquilo que realmente gostam. Mas todos têm a oportunidade de usar seus dons e talentos no serviço voluntário.
Esse tipo de trabalho não dá um tostão como retorno, mas traz consigo importantes recursos de trabalho como a alegria no serviço, o amor ao próximo e a gratidão. Recursos esses que dão energia para fazer todas as outras coisas.
O esgotamento tem sido descrito como o maior risco profissional do século XXI.
Conhecer seus sintomas e como diminuir seus efeitos é um primeiro passo muito importante rumo a uma vida plena e feliz.

sábado, 16 de abril de 2016

A corrupção em nosso dia dia




O assunto político tem tomado grandes proporções ultimamente. As mídias sociais estão repletas de revoltas contra os políticos em geral e afirmações extremas sobre os mesmos, o ódio contra a corrupção que afeta a população é mais do que aceitável, é necessário. 
As páginas no facebook pedindo impeachment (mesmo que escrito errado) da presidente e esbravejando contra a corrupção dos poderosos ganham milhares e milhares de seguidores todos os dias e defensores mais que calorosos. Pessoas que votaram em um candidato se sentem superiores e adoram gritar aos quatro ventos que não colaboraram com o caos regrado à corrupção que temos vivido atualmente. Será?
Sabe aquele dinheiro que você, mesmo vendo o rapaz derrubar, botou no bolso correndo antes que ele percebesse que caiu? 
Aquele dinheiro que, ao dar o troco, o atendente do supermercado te passou sobrando e você manteve silêncio e se sentiu satisfeito, sortudo? 
Àquele produto que você comprou baratinho mesmo desconfiando que era roubado, àquela prestação que você espera “caducar” no sistema de proteção de crédito e não pretende pagar nunca?
 E aquele dia que você fingiu estar dormindo no banco colorido do ônibus para não precisar ceder o lugar para a gestante ou o idoso que entrou? 
Você entrou pelas portas traseiras do ônibus se sentindo o maioral e ainda é cheio de desculpas? Pois é. 
Sabia que os políticos corruptos também inventam um monte de desculpas para justificar seus atos? Você é tão corrupto e egoísta quanto os odiosos políticos que você acusa com tanto ardor.
Você sai por ai, esbravejando contra todos e se sentindo vítima da corrupção que você mesmo alimenta, mas está sempre tentando levar vantagem em tudo. 
A diferença entre você e os nossos políticos é que você tem menos poder.
 Do contrário, seria mais um se divertindo com o dinheiro público.
 Se você aproveita todas as oportunidades, mesmo que incorretas, para se dar bem nas situações, comece a pensar em suas atitudes antes de sair acusando por aí. 
Vamos aprimorar nosso próprio caráter para garantir melhores pessoas no poder futuramente, a começar por nós mesmos?