sábado, 21 de dezembro de 2013

Depressão nas festas de Fim de Ano



O início do ano fazemos  planos, traçamos metas, iniciamos projetos e trabalhamos com a expectativa “nas alturas”. Com a aproximação do final do ano, começamos a fazer uma retrospectiva, a avaliar nosso desempenho. O que realmente realizamos? O que ficou só nos planos? O que ficou abaixo das expectativas? Aonde vencemos e aonde falhamos? Dependendo do resultado de nossa autoanálise, podemos ficar felizes ou entrar num estado de ansiedade, de depressão e angústia.
O Natal e as festas de fim de ano estão chegando e para muitos, está chegando também a fase das depressões. Muitas vezes esse sentimento de desamparo e desânimo é provocado por datas que nos trazem lembranças tristes. Ou por perdas, como a de entes queridos, separações, desemprego, doenças. Todos esses fatos provocam o que podemos chamar de depressão natural.
Há outro fator que contribui para isso. Para muitas pessoas, a Festa de Natal representa o encontro com familiares com os quais elas não têm boas relações, que evocam emoções difíceis de se lidar ,ou contraditórias, tipo amor/ódio, e cobranças, cobranças e mais cobranças… Somado a isso, vem o stress de fim de ano, os presentes a comprar, as festinhas de confraternização do trabalho, os amigos secretos, etc…

As festas de fim de ano não representam necessariamente apenas alegria, para muitas pessoas torna-se um período de muita angustia e muita ansiedade, pois é o momento quando estas pessoas sentem que tem a “obrigação” de serem felizes quando na realidade não consideram que tem motivos para isso. Inunda um sentimento de que se ela não estiver com a mesma alegria das outras pessoas então é sinal de que há algo muito errado com ela.

Muitas pessoas não entram no famoso “espírito natalino”, não sentem a mesma a alegria que percebem nas outras pessoas.
De uma forma ou de outra, com mais dinheiro ou menos dinheiro, está começando a estação do ano onde costumamos fazer balanços, projetos e festas.O que pode parecer a época mais feliz do ano, para muita gente é bem o contrário. Natal e encontros de família, para essas pessoas, podem se transformar nos momentos mais tristes e difíceis de suportar. Na maioria das vezes, são pessoas deprimidas ou que estão passando por uma crise de depressão.
Para algumas, a causa está nas lembranças desse período, na falta de alguém, por exemplo, e a tristeza costuma ir embora assim que as festas também se vão. Para outras, o Natal só vem agravar uma sensação de desânimo e falta de autoestima que torna todas as coisas difíceis e sem graça alguma, o ano inteiro.

Para essas depressões que têm causa conhecida, e para aquelas pessoas que se sentem deprimidas de tempos em tempos, há uma série de sugestões que podem ajudar a reduzir seus efeitos sem o uso de medicamento.
Uma das mais eficazes é o exercício físico. Começar uma atividade qualquer, seja caminhada, ciclismo ou natação, dá ao corpo e à mente uma disposição nova capaz de animar o resto do dia. Você se sentirá mais forte, mais auto-confiante, se animará a fazer planos, e isso com certeza diminuirá sua tristeza e a sensação de que não é capaz de nada.
Muitas vezes a depressão está associada a sentimentos de solidão e isolamento, à falta de um contato físico. Há outras dicas conhecidas, que se fundamentam em exercitar o pensamento positivo. Se você diz a você mesmo que vai sair dessa fase, que você não é uma vítima, que é capaz e vai conseguir, certamente terá mais chance do que aquele que pensa o contrário.
Conversar, colocar para fora o que está dentro de nós, vai com certeza trazer alívio. Isso vale para mágoas, ressentimentos, angústias, a sensação de que estamos sendo enganados ou injustiçados.
Os idosos são os que precisam de maior atenção,nessa época. Com a perda de familiares, da saúde, das atividades que costumava exercer, do salário, o idoso reúne muitos motivos para cair em depressão.

Esta depressão de fim de ano pode ser canalizada de forma positiva e utilizada para que se reveja o que esta pessoa está fazendo de sua vida. Será que ela não passou o ano todo desperdiçando oportunidades para criar laços de amizade que valerão a pena ser comemorados no natal? Não será este o grande momento para aprender a lidar de forma diferente com a própria vida?

A psicoterapia é a grande oportunidade para fazer estas mudanças na vida.


sábado, 5 de outubro de 2013

Filmes podem ajudar a lidar com emoções

TRABALHAR EM EQUIPE:
“Avatar” (2009), de James Cameron. “Embora a trama não tenha um tom didático ou engajado, está clara a mensagem ecológica: respeito a natureza é o que interessa, e o maior inimigo do homem é ele mesmo. Para salvar a civilização, é necessária, contudo, a sincronização da diversidade. O segredo para derrotar a tecnologia de última geração é vencer todas as barreiras, confiando uns nos outros, como um verdadeiro time. O embrião da verdadeira solidariedade nasce no espírito de time, e essa é a grande mensagem de Avatar”, comenta Renata di Nizo, educadora e fundadora da Casa da Comunicação, de São Paulo.


SUPERAR PERDAS:
“Simplesmente Martha” (2001), de Sandra Nettelbeck. Chef de raro talento, a introvertida Martha tem um cotidiano monótono e solitário. Sua rotina sofre mudanças radicais depois que a irmã morre em um acidente e ela se vê obrigada a cuidar da sobrinha de oito anos. “A perda a faz reencontrar um sentido na vida, além de uma nova reestruturação familiar e de projeto pessoal extremamente significativo” , comenta Josiane.

REFORÇAR A FÉ :
“Ray” (2004), de Taylor Hackford. O longa-metragem conta a trajetória marcada por altos e baixos do pianista Ray Charles (1930-2004), cego desde a infância. Para a psicóloga Josiane Zhaga, a vida de Ray Charles - e sua fé na música e nele mesmo - é uma excelente fonte de inspiração para quem busca força e determinação para alcançar tudo o que deseja.

LIDAR COM A RAIVA:
“Hurricane - O Furacão” (1999), de Norman Jewison. Inspirado em um caso real ocorrido na década de 1960, a história mostra como enfrentar esse sentimento negativo. No auge da carreira, lutador de boxe é preso injustamente acusado de assassinato. Na prisão, escreve um livro contando sua história. A obra é alvo de interesse de um ativista a favor dos direitos humanos, que o ajuda a recuperar a liberdade e a dignidade.

TER COMPAIXÃO:
“Uma Lição de Amor” (2001), de Jessie Nelson. Sam Dawson (Sean Penn) é um homem com deficiência mental que cria sua filha Lucy (Dakota Fanning) com o apoio dos amigos. Quando a menina completa 7 anos e começa a ultrapassá-lo intelectualmente, a situação chama a atenção de uma assistente social que quer Lucy internada em um orfanato. A advogada Rita Harrison (Michelle Pfeiffer) é quem se encarrega de defendê-lo. “A história mostra a importância de educar e cuidar com afeto do desenvolvimento de uma criança, além de abordar as dificuldades que todos encontram quando assumem responsabilidades na vida”, comenta a psicóloga Josiane Zhaga.

PERCEBER QUE NÃO ESTÁ SÓ NO MUNDO
“Antes de partir” (2007), de Rob Reiner. Calcado nas ótimas interpretações de Jack Nicholson e Morgan Freeman, trata da relação de dois homens no final da vida, da amizade e da felicidade de encontrar um vínculo que propicia serenidade.

CRISE NO CASAMENTO:
“Diário de uma Paixão” (2004), de Nick Cassavetes. Numa clínica geriátrica, Duke, um dos internos com boa saúde, lê para uma senhora com um quadro mais grave um diário que conta a história de Allie Hamilton (Rachel McAdams) e Noah Calhoun (Ryan Gosling), dois jovens enamorados que, em 1940, se conheceram num parque de diversões. A trajetória marcada por separações e problemas mostra como um vínculo amoroso se consolida e, apesar das crises sucessivas no casamento, se fortalece e se torna inquebrável.

VISÃO E PLANEJAMENTO:
“Um Sonho de Liberdade” (1994), de Frank Daramont. O personagem de Tim Robbins tinha à sua frente um objetivo que parecia impossível: fugir de uma prisão de segurança máxima, na qual estava confinado injustamente, mas com uma visão clara de onde queria chegar e qual seria sua recompensa (a liberdade). “Demorou 20 anos, mas ele conseguiu conquistá-lo”, diz Renato Gringerb, que aponta este filme como uma trama sem igual na proposta de provar como são importantes a visão e o planejamento para alcançar metas pessoais ou profissionais.

PERSEVERANÇA:
“Rocky Balboa” (2006), de Sylvester Stallone. “Esse filme mostra que, mesmo enfrentando todas as dificuldades que apareciam à sua frente, o lutador Rocky nunca desanimava. Pelo contrário, vencia todos os obstáculos com determinação e muita dedicação”, comenta Renato Gringerb, especialista em mercado de trabalho, de São Paulo.

FRUSTRAÇÃO:
“Sucesso a Qualquer Preço” (1992), de James Foley. Bastante recomendado por Renato Gringerb para estimular equipes, o filme relata o dia a dia de profissionais de venda e mostra como não é difícil lidar com as frustrações de ser rejeitado por tantos clientes. “Um dos pontos altos é o discurso do personagem de Alec Baldwin para a equipe de vendas, mostrando que, se queriam vencer, deveriam lidar com as frustrações como adultos e realmente se empenharem para transpor as barreiras que apareciam”, destaca o especialista.

DAR VALOR À VIDA:
“Click” (2006), de Frank Coraci. “Este filme nos faz refletir sobre como utilizamos o nosso tempo. É fantástico para aquelas pessoas que colocam o trabalho em primeiro plano e se esquecem das maravilhas que existem em outras áreas da vida”, afirma Christian Barbosa, especialista em gestão do tempo, de São Paulo. Interpretado por Adam Sandler, o workaholic Michael Newman encontra um controle remoto que pode adiantar, pausar ou voltar cenas da sua trajetória. Acaba perdendo, literalmente, o controle de sua vida, e envelhece deixando de viver momentos inesquecíveis com a família. “Com este filme podemos entender o quanto é importante administrar bem o tempo e viver todas as áreas da vida por igual”, pondera Christian.

FAZER AS PAZES COM O PASSADO:
“Duas Vidas” (2000), de Jon Turtelbaud. Russ (Bruce Willis) é alguém contaminado pelo “deixa a vida me levar”. Ele se esquece dos sonhos passados até se encontrar com ele mesmo, quando tinha 8 anos de idade. A criança não fica feliz em saber que não realizou seu sonho de ser piloto de avião, então juntos eles relembram os sonhos de infância, para que ele se torne o adulto que sempre sonhou. “Este filme é ideal para não nos esquecermos de administrar o nosso tempo e assim realizar os sonhos pessoais, pois o tempo pode passar sem que nos demos conta de que não vivemos aquilo que realmente queríamos”, explica Christian.

FORTALECER A AUTOESTIMA:
“Julie & Julia” (2009). Trata-se de uma mistura de filme biográfico e comédia dramática, baseado na vida (e em um livro) de uma mítica cozinheira e na obra de uma jovem norte-americana. As histórias se entrecruzam e o que é nítido no decorrer do filme é o fortalecimento da autoestima de ambas as personagens. Por um lado, o despontar da pioneira chef de cozinha; por outro, o cotidiano medíocre de uma funcionária que trabalha em um cubículo. Quando ela se propõe a testar as receitas e a contar suas experiências em um blog, a página da web se converte em um êxito e o blog se transforma em um livro. “O conceito que cada uma tinha de si se transforma à medida que elas se recriam e encontram um significado, uma razão de ser”, ressalta Renata di Nizo.

sábado, 7 de setembro de 2013

Pessoas Comprometidas

Quando perguntamos a qualquer empresário, supervisor, professor ou outras pessoas em geral sobre o que elas mais sentem falta nas pessoas do seu relacionamento, a resposta é sempre a mesma:
"Gostaria que as pessoas fossem mais comprometidas" . Mas, afinal, o que é de fato, "ser uma pessoa comprometida?
- Uma pessoa comprometida procura sempre colocar-se no lugar das outras, sentindo o que as outras sentem...
- Uma pessoa comprometida faz tudo com atenção aos detalhes. Ela fica atenta a tudo, procurando fazer sempre o melhor...
- Uma pessoa comprometida termina o que começa, não deixando seus projetos pela metade...
- Uma pessoa comprometida pergunta o que não sabe e sempre demonstra interesse em aprender. Ela se aprofunda até dominar aquilo que desconhece.. .
- Uma pessoa comprometida cumpre prazos e horários e não deixa os outros esperando por ela...
- Uma pessoa comprometida não vive dando desculpas por seus atos e nem procura culpados pelos erros cometidos...
- Uma pessoa comprometida não vive reclamando da vida e falando mal das pessoas. Ela age para modificar e melhorar a realidade...
- Uma pessoa comprometida não desiste facilmente. Ela não descansa enquanto não vê seu problema resolvido. Os obstáculos não impedem que vá atrás da solução...
- Uma pessoa comprometida está sempre pronta a colaborar com as outras. Ela participa, dá idéias e faz sempre mais do que esperam dela.
Você pode contar com ela.

sábado, 31 de agosto de 2013

Celebrando o Envelhecer

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, apenas dê o próximo pequeno passo.
3 A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém.
4. Seu trabalho não vai cuidar de você quando você adoecer. Seus
amigos e seus pais vão. Mantenha contato.
5. Pague suas faturas de cartão de crédito da vida todo mês !
6. Você não tem que vencer todo argumento. Concorde para descordar.
7. Chore com alguém. É mais curador do que chorar sozinho.
8. Está tudo bem em ficar bravo com Deus. Ele aguenta.
9. Poupe para aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10.. Quando se trata de chocolate, resistência é em vão, mas vale tentar e recuar !!!
11. Sele a paz com seu passado para que ele não estrague seu presente.
12. Está tudo bem em seus filhos te verem chorar.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem ideia do que
se trata a jornada deles..
14. Se um relacionamento tem que ser um segredo, você não deveria estar nele.
15 Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não se preocupe, Deus nunca pisca.
16.
Respire bem fundo. Isso acalma a mente.17. Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeiroso.
18. O que não te mata, realmente te torna mais forte.
19. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda
só depende de vocÊ e mais ninguém.
20. Quando se trata de ir atrás do que você ama na vida, não aceite
não como resposta.
21. Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante.
Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Se prepare bastante, depois deixe-se levar pela maré..
23. Seja excêntrico agora, não espere ficar velho para usar roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém é responsável pela sua felicidade além de você.
26. Encare cada "chamado desastre" com essas palavras: Em cinco anos,
vai importar?
27. Sempre escolha a vida.28. Perdoe tudo de todos.29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo.
31. Indepedentemente se a situação é boa ou ruim, irá mudar.
32. Não se leve tão à sério. Ninguém mais leva...
33. Acredite em milagres
34. Deus te ama por causa de quem Deus é, não pelo o que vc fez ou
deixou de fazer.
35. Não faça auditoria de sua vida. Apareça e faça o melhor dela AGORA!
36. Envelhecer é melhor do que a alternativa: morrer jovem
37. Seus filhos só têm uma infância
38. Tudo o que realmente importa no final é que você amou.
39. Vá para a rua todo dia. Milagres estão esperando em todos os lugares40. Se todos jogassemos nossos problemas em uma pilha e víssemos os de todo mundo, pegaríamos os nossos de volta.
41. Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
42. O melhor está por vir.
43. Não importa como vc se sinta, levante, se vista e apareça.
44. Produza we realize .45. A vida não vem embrulhada em um laço, mas ainda é um presente!!!

Malhação auxilia tratamento da depressão

Yoga, natação, ciclismo, musculação, dança, boxe, ufa! São tantas modalidades que não faltam opções para suar a camisa e ficar com o corpo em forma. Mas se a princípio os exercícios atraem pelos benefícios dos músculos esculpidos e formas definidas, não precisa de muito tempo para perceber que suas vantagens logo se estendem até a mente. Isso porque quando praticamos exercícios físicos, nosso organismo sofre uma série de transformações, como a liberação de hormônios neurotransmissores, as endorfinas, que promovem uma sensação de bem-estar e relaxamento. Praticar esportes é sempre um ótimo recurso para quem precisa levantar o ânimo e auxiliar o tratamento de males como a depressão e a ansiedade.
É fato que o dia a dia frenético faz com que as pessoas se sintam mais pressionadas, solitárias e eufóricas e aí que a atividade física pode entrar como aliada. Elas estão sempre atrás de bater metas e cumprir compromissos e isso faz com que a saúde emocional delas fique frágil e vulnerável a doenças como o estresse e transtornos compulsivos. Sozinhos, os exercícios físicos não são capazes de curar doenças, mas atuam como excelentes coadjuvantes aos tratamentos médicos. A seguir, confira como mexer o esqueleto revigora muita mais do que o corpo.  

Lutando contra a depressão
A doença geralmente está associada a fatores psicológicos, genéticos e biológicos. Os exercícios físicos amenizam os sintomas da doença justamente porque estimula o cérebro a liberar mais endorfinas, alterando os estímulos cerebrais negativos e melhorando o humor do paciente deprimido. A depressão é uma doença grave que deve contar com um tratamento multidisciplinar, com o auxílio de psicólogos, clínicos e familiares para ter resultados satisfatórios.
"Exercícios aeróbios, alongamento e yoga são muito importantes para a recuperação destes pacientes. Trabalhar o corpo e a mente com atividades que relaxam e ajudam a diminuir a ansiedade e a tristeza. Outra dica é uma aula de dança de salão, que mantém a forma e diverte", explica Valéria Alvim.  

Aliviando o estresse
O estresse caracteriza- se pela alteração do funcionamento de nosso organismo para adaptar-se a uma situação nova ou às mudanças de um modo geral. Os sintomas aparecem em graus diferentes, como diminuição da concentração, depressão, pessimismo, queda da resistência imunológica, mau-humor, cansaço, irritabilidade, baixa da libido. As doenças psicossomáticas como úlcera gástrica, problemas dermatológicos, queda de cabelo, infertilidade, herpes, entre outras, também podem ser desencadeadas ou agravadas.

Esportes como o boxe ou o kung fu ajudam a extravasar as tensões e aliviam os sintomas do problema. Ela sugere que pessoas nesta situação pratiquem exercícios físicos que promovam maior liberação de endorfina e relaxamento dos músculos tensos, pois, quando ocorre a combinação destes dois efeitos, há a sensação de bem-estar e melhora do humor e disposição. 
Chega pra lá na ansiedade
Movimentar o corpo é, sem dúvida, uma das medidas mais aconselháveis contra a ansiedade. Quem está ansioso consegue descarregar no treino todas as tensões geradas por suas expectativas e relaxa, porém, a medida só é eficiente para quem se exercita com frequência. Não adianta correr ou malhar no fim de semana e esperar resultados duradouros. O corpo responde a estímulos e eles devem ser regulares.
A pesquisa observou o comportamento de vinte universitárias frente a uma situação de ansiedade logo após terem realizado sessões de exercícios físicos. Os resultados dos testes constataram que os exercícios físicos são por si só estressores, e que a prática constante faz com que as pessoas se adaptem a esse estresse e se tornem mais resistentes ao quadro.
 
Para curar o coração partido
Caminhar, pedalar, nadar ou esticar os músculos na aula de pilates. Vale tudo para remendar o coração partido, mas a ideia é sair de casa e respirar novos ares. A principal mudança causada pelos exercícios físicos nas pessoas que sofreram alguma decepção amorosa é a elevação da autoestima e da autoconfiança. Isso faz com que a pessoa passe a se gostar mais e, consequentemente, desperte a atenção dos outros.

"Praticar esportes faz com que as pessoas se voltem a outros objetivos, ocupem o corpo e a cabeça, conheçam outras pessoas e se sintam mais confiantes em si mesmas, o que acaba ajudando na hora da conquista, quando o assunto é partir para outra", explica a psicóloga. Nestes casos, a dica é procurar exercícios que dêem prazer e promovam os resultados esperados. Outra boa pedida é procurar lugares movimentados onde é possível fazer amigos e conhecer gente interessante. Quem sabe o colega de treino não vira um novo amor? 

sábado, 17 de agosto de 2013

A Ética Profissional como tradução do amor

Alguém pode não saber ler ou nunca ter ouvido falar de ética, mas só será feliz se for ético. Ética não é uma condição que a gente tem de atender para agradar a empresa ou ao chefe; não é recitar códigos ou doutrinas.

Ética é o que fica da vida que levamos, das coisas que fazemos todo dia, agora; é o saldo que resta em nosso coração das ações que praticamos. Não se pode aprender ética apenas em livros ou em aulas e, menos ainda, em palestras. Ela está lá no Evangelho de Jesus: no Sermão da Montanha e em muitas outras passagens. Mas não é difícil encontrar a ética dentro de nós, saber o melhor caminho a seguir.

A felicidade de comercial não é sustentável. A satisfação dos cartões de crédito, do consumo, dos vícios ou da corrupção. A felicidade que tira dos outros, diminui muito mais de nós mesmos. Isto não é moralismo, não é pieguice, é realidade! "Ignorante" é o nome dado por Sócrates a quem ainda não sabe disso. Todo mundo vai descobrir que o mal não vale a pena, que o egoísmo não constrói nada, só estraga, destrói. De uma maneira ou de outra vai descobrir disso. A boa vontade será a melhor maneira e a decepção, a pior. . .

Não precisamos sofrer tanto para aprender que a vida é muito mais ajudar e compartilhar do que competir, ferir e derrotar. Quem tem o coração cheio de amor, tem ética, naturalmente. Ética é não estar preocupado com a reputação, mas com o caráter. O comportamento espontâneo, generoso e fraterno, é ética.

Quando a ética não é uma escolha, mas um dever imposto pela consciência, isto é ética. Quando estamos empenhados em dar o melhor de nós e não em sermos os primeiros, isto é ética.

Quando nos esforçamos para ter bondade e não para aparentar bondade, isto é ética. Quando o cuidado com os sentimentos dos outros lapida a dureza das palavras, isto é ética.

Quando olhamos para os outros e nos colocamos no lugar deles, quando vemos Deus nos outros, isto é ética. Quando perdoamos, deixando espaço livre na nossa memória para paisagens de ternura e humanidade, isto é ética.

Quando descobrimos uma qualidade nova em alguém que não gostamos, isto é ética. Quando identificamos em nós algum defeito e enxergamos como a vida é maravilhosa, isto também é ética.

Quando não nos vingamos de quem nos prejudicou, mesmo tento a oportunidade ideal, isto é ética. Quando olhamos os filhos dos outros como nossos próprios filhos e os empregos dos outros como o nosso "ganha pão", isto é ética. Quando sabemos que o dinheiro, o conforto, a posição ou o status de que desfrutamos são apenas privilégios e não direitos, pois podem nos ser tirados a qualquer momento pelo infortúnio, pelo imponderável ou pela morte: isto é ética!

Quando aquilo em que acreditamos não é expresso como uma declaração de princípios, mas sai da nossa boca como poesia, isto é ética! Quando somente conseguimos conspirar pela felicidade dos outros, isto é ética.

Quando sabemos que o amor pela pedra, pelo inseto, pela planta, pela brisa e por todas as coisas, que a ação em benefício de alguém que nem conhecemos e que a gratidão pela vida são tesouros permanentes, isto é ética. Quando sentimos que o amor invadiu cada sílaba que pronunciamos, cada lembrança, cada gesto, olhar e tarefa, enfeitando o templo do coração com as flores do bem, isto é felicidade.

sábado, 3 de agosto de 2013

O Corpo Fala

Quando sentimos uma dor seja ela qual for, a última coisa que pensamos é que ela é um aviso de nosso corpo nos alertando que em algum setor de nossa vida existe alguma coisa errada. Mas é isso, toda e qualquer dor ou alteração no nosso organismo, tenha ela surgido naturalmente ou em decorrência de acidentes, têm como origem um desajuste no campo emocional.

Existem situações na vida com as quais dizemos, aprendemos a conviver, porém são situações que nos incomodam, que não resolvemos nem aceitamos. A convivência inadequada com tais situações, mais dias menos dias, vai alterando o estado emocional da pessoa e essas alterações vão pouco a pouco refletindo no seu estado psicológico, apresentando sintomas de depressão, síndrome do pânico, etc.. Outra forma de manifestação desses desequilíbrios é a somatização no corpo físico em forms de dores e outros desajustes orgânicos.
Por isso é muito importante aprendermos a conhecer bem nosso corpo, estando atentos às alterações que ele apresenta, pois ele nos diz exatamente onde estamos falhando e em que precisamos mudar. Como diz o título da matéria o corpo fala, e não mente. Vamos então conhecer com maiores detalhes um pouco da linguagem do corpo.

Hérnia de disco: significa que a pessoa está profundamente indecisa quanto à sua vida. Sente-se totalmente desamparada e seus pensamentos a deprimem, pois não possibilitam que ele encontre saída param essa situação. A hérnia de disco é a forma de impedir a articulação da coluna. Ela mostra , simbolicamente o quanto a pessoa se sente amarrada, o quanto os movimentos estão presos e essa dificuldade é gerada porque o apoio necessário para a movimentação não é encontrado. Então, simbolicamente, isso ocorre quando a pessoa não recebe apoio de alguém, no momento em que mais precisa.

Enxaqueca e dor de cabeça: As pessoas que sofrem de enxaqueca têm um orgulho muito forte e não permitem que pessoas autoritárias mandem em sua vida ou controlem seus passos. Resistem a tudo e a todos que, conforme elas acreditam, queiram invadir seu espaço vital. São pessoas que não se entregam aos prazeres, pois receiam serem dominados de alguma forma. Normalmente têm medo do sexo ou de suas conseqüências, devido à limitações morais, religiosas, familiares, etc.
Se você se identifica nesta situação, solte-se e deixe seu coração falar. Não use a razão somente, pois devemos equilibrar os dois hemisférios (razão e emoção), para evitarmos esses conflitos internos e suas somatizações. Suavize seus pensamentos, amenize seus sentimentos, permita-se sentir alegria.

Alergia na pele: significa que a pessoa está vivendo momentos de irritação com as pessoas próximas e que atrasam seu desenvolvimento pessoal e profissional. Quando ela se vê obrigada a fazer o que não gosta, persuadida por pessoas de quem depende de alguma forma, surgirá, com certeza, coceira incessante significando o desejo inconsciente de arrancar aquilo que incomoda profundamente.
Pare de se sentir contrariado. Se você está passando por isso é porque, de alguma forma, procurou. Saia dessa sem ressentimentos, pois ninguém sabe quando está causando alergia em alguém. Passe a se expressar melhor. Seja objetivo e tire a culpa do seu coração. Eduque-se a não deixar que seu espaço seja ameaçado. Diga abertamente tudo que o incomoda pois tudo pode ser falado desde que seja com respeito e determinação. Analise-se e perceba se você consegue, humildemente, mudar um pouco mais o seu jeito de falar com as pessoas e o trato consigo mesmo. O mundo à sua volta só ira mudar se você mudar primeiro.

Labirintite: Significa pensamentos atrapalhados, nervosismo reprimido, o efeito de um golpe emocional, a necessidade de liberdade para pensar e agir, a sensação de falta de amor, sentimentos de solidão, dificuldade para expressar-se, e estar tonto com tantos problemas emocionais, e sentir-se desamparado e teimar em continuar tentando pelos velhos caminhos que nunca deram certo. Pare de tentar achar uma saída. Pare de fazer de conta liberte-se das amarras que o sufocam colocando seus sentimentos em primeiro lugar. Pare de se anular, aja com humildade mas seja firme em suas decisões.

Artrite: Representa um coração cheio de críticas e ressentimentos por pessoas que não valorizam seus esforços. Pessoas com esse tipo de inflamação são as que, às vezes, perdem tempo questionando em pensamentos os porquês das atitudes das pessoas. Não conseguem sentir que são amadas e geram conflitos de carência. Costumam culpar os outros pelo mal que as aflige. Essas pessoas precisam desligar-se do passado através do perdão.
As alterações do corpo podem ainda causar desequilíbrio da condição interna do organismo. Vejamos alguns exemplos:

Pele amarelada: indica possíveis disfunções do fígado e vesícula biliar, como no caso da icterícia.

Pele cinza-azulada: indica fragilidade ou dificuldade do fígado e pâncreas para executarem suas funções.

Pele muito vermelha: possíveis disfunções cardíacas e respiratórias como na expansão capilar nas faces, ou pressão sangüínea anormal.

Mãos e pés frios: excesso de açúcar, frutas e bebidas geladas. Desordens digestivas e excretórias, bem como do sistema nervoso.

Inchaço generalizado de pés e mãos: ingestão excessiva de líquido, gordura, especialmente causado por frutas, sucos, laticínios. Desordens no aparelho circulatório e reprodutor.
Assim como esses muitos outros sinais podem ser dados por nosso corpo. Em alguns casos são simples sinais de alerta para pequenas alterações, em outros porém podem ser verdadeiros pedidos de socorro para desequilíbrios que não sabemos ou não admitimos ter. Por isso a necessidade de mantermos sempre a alimentação, repouso e atividades em níveis equilibrados, procurando conhecer o melhor possível nosso corpo, estando sempre atentos para o que ele possa estar querendo nos dizer.


Da cabeça aos pés, tudo foi estudado, comprovando que cada parte do nosso corpo tem uma linguagem a ser entendida. A cabeça, o tronco, os membros e cada órgão interno recebem um impulso nervoso do cérebro que é comandado pelas emoções. Há uma infinidade de reações nervosas que causam doenças, sendo que uma grande parte delas a medicina não reconhece como inconscientes. Vamos mostrar alguns exemplos de como um pensamento crônico pode transformar- se em seu corpo, através das reações químicas comandadas pelo corpo.

SINUSITE RINITE: Sinusite é um sinal de que seu ego está profundamente irritado com alguma pessoa que convive com você. Ë provável que esta pessoa tente constantemente invadir seu espaço vital.

Sinusite é uma inflamação mental relacionada com alguém próximo; é a atitude mental rebelde ou a rebeldia nutrida contra os pais. Na verdade, o nariz representa a nossa sensibilidade quanto à aceitação ou recusa de algo ou alguém.

O sentimento de gratidão destas pessoas é quase que superficial e para se obter a cura total dessa dificuldade de respirar, é necessário que se comece reconhecendo que no passado ficaram suas melhores experiências e foi lá que você aprendeu tudo o que sabe hoje. Seus pais, amigos, patrões, funcionários, etc., todos, direta ou indiretamente o ajudaram a crescer. O demérito está naqueles que não aceitam, com humildade, as diferenças de opiniões, pois consideram-se os mais inteligentes e infalíveis.

Coloque em prática o que você sabe, em beneficio das outras pessoas e de si próprio. Admita humildemente os seu erros e sua ignorância em determinados assuntos, porque somente assim você descobrirá suas limitações e procurará se aperfeiçoar.

CORIZA: É a inflamação catarral da membrana mucosa das fossas nasais. Ocorre em pessoas extremamente sensíveis, que acham que só se pode conseguir o que se quer se alguém permitir. Você que tem coriza, cresça e pare de sentir-se como criança chorosa e vá à luta. Com lágrimas você não vai a lugar algum. Tenha vontade de criar suas próprias coisas e sentir prazer por elas e com elas. Participe ativamente e aceite a si mesmo com amor e sabedoria. Saiba amadurecer com alegria e dinamismo, sem perder a juventude. Perca o hábito de sentir-se vítima e enxergue que você tem capacidade e argumentos para agir diferente quando sentir-se acuado.


JOELHOS: Simbolizam atitudes para com você mesmo, no presente. Eles deveriam equilibrar o seu passado (coxas) e seu futuro (pernas).
Pessoas que não conseguem aceitar opiniões alheias, e agem como crianças para defender seu espaço, mostram que precisam amadurecer mais para poder compreender novas formas de se defender contra aqueles que lhe opõem. Faltar com o respeito para consigo mesmo deixando de realizar seus objetivos ou suportando todas as contrariedades, domésticas ou profissionais, também não é uma maneira correta de comunicar-se. A anulação pessoal só acontece quando a pessoa não conhece outros meios de se expressar e acredita que já tentou tudo para mudar uma situação desagradável, que a aflige. Se você se sente ferido em seus sentimentos e em seu orgulho porque está fazendo coisas que contrariam seu verdadeiro modo de ser, se está se desrespeitando ao forçar uma situação por não saber como corrigi-la e vive com o coração repleto de críticas e desapontamentos, saiba que seus meniscos, ligamentos e ossos do joelho serão afetados. Eles irão inflamar e poderá até ocorrer estiramento ou rompimento dos ligamentos, mesmo que seja provocado por algum acidente. Nós somos conduzidos, cegamente, pelo nosso inconsciente, para o bem ou para o mal, conforme o que acreditamos, ou pensamos constantemente.

As pessoas que não se dobram aos outros e teimam em sustentar as suas opiniões acabam somatizando um joelho que não dobra, que não flexiona e é extremamente dolorido.
A análise de nossa conduta mais secreta é, realmente, um trabalho difícil que requer sinceridade e lealdade com relação a nós mesmos. Para revertermos o quadro de doenças, dores, etc. para a saúde e a felicidade, devemos reconhecer nossas emoções diárias e não somente nossos pensamentos, para que possamos trabalhar na mudança do nosso interior.

PROBLEMAS NO MÚSCULO DO PESCOÇO: Dor no pescoço simboliza a inflexibilidade de seus pensamentos e a dificuldade de relaxar em relação às cobranças alheias e mesmo à auto-cobrança.
A pessoa que não quer deixar de ter opiniões rígidas e recusa-se duramente a mudar seus hábitos, vai ganhar um pescoço duro, igual à sua cabeça. Pessoas perfeccionistas normalmente têm muitos torcicolos.
Muitas vezes, as pessoas acordam com o pescoço doendo e nem conseguem girar a cabeça para o outro lado, reclamam: Dormi de mau jeito por isso estou assim. Tomei um golpe de vento ontem, e hoje acordei mal. E assim por diante.

Acontece que estas são apenas justificativas e não explicações reais para as dores.
Com estes exemplos, você pode ver como o consciente reage por não saber ou não ter se preocupado em aprender a linguagem do corpo. Enquanto não tomarmos consciência daquilo que acontece com nosso corpo, estaremos tentando eternamente achar resposta para nossos problemas, percorrendo o caminho oposto ao da verdade.

Se você estiver com dor no pescoço ou torcicolo, pare e pense um pouco. Analise seus últimos atos ou pensamentos contra algo ou alguém. Lembre-se de algum episódio durante o seu dia de ontem ou anteontem. Será que você não esta sendo teimoso com alguém ou com alguma idéia fixa? Será que você não está sendo insistente demais em querer que determinada pessoa pare de agir daquele jeito que tanto desagrada você?

Sempre haverá uma resposta, mas se você não souber saudavelmente voltar atrás e desistir de alguns aspectos negativos da sua conduta, seu pescoço continuará doendo e mostrando que você ainda não consegue olhar para o outro lado da questão. E literalmente, você não conseguirá olhar para o lado, a não ser que gire o corpo todo.

GORDURA: A gordura é o casulo que a pessoa cria, inconscientemente, para se proteger e se esconder dos problemas externos.

Pessoas muito sensíveis, que se deixam magoar com facilidade, buscam se proteger atrás da gordura, que representa a maciez de um abraço. Muitas vezes, a gordura é uma forma convenientemente usada para se conseguirem certos benefícios, como atrair a compaixão de outras pessoas, deixar de trabalhar naquilo que não gosta, escapar de certas obrigações que limitam sua liberdade e até mesmo testar o amor e a fidelidade do cônjuge ou dos pais. Mais uma vez vemos que o perigo está em nossa mente, não no mundo em que vivemos, e nem nos alimentos que comemos.

Faça um ”regime” nos seus pensamentos e limpe toda essa amargura. Viva tranqüilamente e sem se sentir ameaçado. Ame profundamente a todos e você perceberá que, como resposta, receberá mais amor dos outros. Saia já desse casulo e participe ativamente do mundo, de peito aberto e acreditando que você está sendo protegido pelas mãos do Grande Pai.

Pare de guardar mágoas e ressentimentos. Apenas aja com docilidade e poder e não deixe que as diferenças de vida e opiniões o aflijam.

Atenção: quanto mais você "engolir” e guardar mágoas, mais seu corpo engordará.

sábado, 27 de julho de 2013

Vivencie seus lutos para uma melhor saúde mental

É clichê, mas é verdade: não podemos fugir ou evitar a morte e, consequentemente, o luto. Mas será que estamos preparados para lidar com as emoções que as perdas provocam?
A professora Maria Júlia Kovács, coordenadora do Laboratório de Estudos sobre a Morte do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), assinala uma tendência, típica da sociedade contemporânea, que é a de abafar o luto e “tocar em frente”.
Hoje, só as mortes espetaculares como a do popstar Michael Jackson são admitidas; as outras são anônimas e geram um problema: como manejar a tristeza. Segundo Aurélio Fabrício Torres de Melo, psicoterapeuta e professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, na atualidade, a morte está perdendo seu lugar. “E, se a morte está sendo ‘expulsa’, como lidar com o luto?”, questiona.
Roland Barthes, semiólogo e filósofo francês, amava e mantinha uma relação estreita com a mãe. Quando ela morreu, ele buscou confortar-se escrevendo sobre uma foto da mãe quando criança. Para ele, esta foi a forma de compreender aquela mulher e os seus sentimentos por ela. Barthes viveu seu luto e o registrou em “A Câmara Clara”. Não é preciso escrever um livro sobre seu sofrimento, mas é necessário vivenciá-lo.
Pequenos lutos
Na atualidade, a morte está perdendo seu lugar. E, se a morte está sendo 'expulsa', como lidar com o luto?
Aurélio Fabrício Torres de Melo, psicoterapeuta e professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie
Momento dolorido da vida, o luto pode ser visto de uma forma abrangente e didática, como a proposta pelo professor Torres de Melo. Ele explica esse estado emocional como uma reação decorrente tanto da “pequena perda da criança que derruba o sorvete, até o exemplo clássico da viúva vestida de preto”. Ou seja, também ficamos “de luto” pelo fim de um relacionamento ou pela perda de um trabalho, por exemplo.
De acordo com Torres de Melo, sofremos pequenas perdas durante toda a vida e, mesmo as grandes e sofridas, seriam comumente precedidas de outras menores. Um exemplo é a angústia gerada pela percepção do envelhecimento dos pais, que sabemos, um dia vão nos deixar.
Medo
Não é novidade que temos medo e dificuldade em lidar com a morte, ela é misteriosa e foi vista por inúmeras lentes, como as do realismo fantástico do autor norte-americano H.P. Lovecraft. Para o escritor, escolhido como exemplo pelo professor Eugênio Mussak, médico e consultor nos campos da liderança, desenvolvimento humano e profissional, o medo é a mais poderosa e antiga emoção humana e o desconhecido, o desencadeador do medo mais profundo.
Tememos a morte, mas quando ela chega, não há escolhas, e a intensidade do luto depende da força da relação, dos sentimentos envolvidos, das expectativas nutridas. Assim, esclarece Maria Júlia Kovács, apesar de universal, cada um reage à sua maneira, mais penosa ou apaziguada, às perdas.
Fases
Se dê o direito de sofrer, mas não morra junto
Eugênio Mussak, médico e consultor nos campos da liderança, desenvolvimento humano e profissional
Hoje, entende-se que não há fases obrigatórias ou sequências de sentimentos no luto, mas basicamente são considerados, em primeiro lugar, o choque gerado pela perda e, depois, o período de “elaboração” da ausência e da falta. Etapa muito variável, intensa ou contida, que dependente de fatores agravantes como a violência da perda ou as chamadas inversões, quando, por exemplo, filhos morrem antes dos pais.
Porém, o que importa, concordam Kovács e Torres de Melo, é que o luto seja vivenciado. Por sua vez, Mussak procura pensar da seguinte forma: “Se dê o direito de sofrer, mas não morra junto”.
Como enfrentar
Não fique só! É o primeiro conselho. “As perdas, muitas vezes, não podem ser evitadas, mas a solidão, sim. A solidariedade e o conforto mitigam a dor”, ensina Torres de Melo.
Uma fórmula “caseira” usada por Torres de Melo para “tentar se preparar” para as perdas é derrubar a ilusão de posse em relação às coisas e às pessoas. Mas quando não há mais para onde correr, o professor defende: “No luto é muito importante que se promova uma catarse de sentimentos: chore o quanto precisar chorar, viva intensamente esse momento e compreenda o que está sentindo, incluindo as emoções que gravitam no ‘entorno’, como culpa, expectativa, fantasias e arrependimentos, que não mais poderão ser resolvidas”.
Em consenso com essa receita, Mussak argumenta que, de certa forma, nós só aprendemos a lidar com a morte (a nossa própria e a do outro), quando entendemos que ela faz parte do ciclo da vida. “O ciclo maior da vida é composto por outros menores, como a infância. Conseguimos fechar bem o grande ciclo, se os pequenos foram bem fechados.” Para ele, não aproveitar a vida é “morrer antes de morrer”.
Ajuda
Luto não é doença, mas nem sempre é possível viver essa fase sem auxílio profissional e especializado. A professora Kovács salienta que a primeira razão para alguém procurar ajuda especializada é a manifestação pessoal desse desejo.
Penso que a dor é proporcional ao espaço que a pessoa que morreu ocupava em nossa vida
Rubens Kutner, que perdeu a mãe em 2008
Rubens Kutner, publicitário e ouvidor de uma universidade na Região Metropolitana de São Paulo, perdeu a mãe em setembro de 2008. Aos 77 anos, ela viveu os diversos estágios de um câncer e uma depressão. O filho conta que, nos últimos quatro anos em que a mãe esteve viva, foi seu cuidador e isso estreitou ainda mais a relação entre os dois.
“Minha mãe era uma mulher otimista, o ‘esteio emocional da família’. Penso que a dor é proporcional ao espaço que a pessoa ocupava em nossa vida”, disse Kutner. Para ele, ver a mãe mais frágil foi difícil, mas enfrentar a morte foi ainda mais.
O rapaz não pode dividir aquilo que sentia com pessoas próximas, então decidiu, por conta própria, procurar auxílio especializado. Hoje, fala no assunto com paz na voz. Ele mostrou fotos à reportagem do UOL, disse que os objetos da mãe ainda estão presentes na casa e que, por vezes, sente-se saudoso e triste, mas que está feliz na maior parte do tempo. Por fim, confessou que ter feito o máximo em vida por sua mãe lhe trouxe certo alento na hora da morte.
Casos como o de Kutner não são tão numerosos, então quem está próximo sempre pode indicar ou orientar essa busca quando percebe que o sofrimento do enlutado é muito intenso ou há risco de adoecimento físico ou psíquico. Ou seja, observe.
Algumas ações como ir muito ao cemitério, olhar muito para fotos e falar demais na pessoa precisam ser acompanhadas, mas em alguns casos são apenas formas que o enlutado usa para lidar com aquela situação. Essas ações não podem, porém, impedir novas relações, sentimentos, atividades e vontades.
Ao lado, sempre
Talvez o luto nunca se dissolva completamente. Talvez ele apenas fique mais ameno, mais ameno e, de repente, se torne uma saudade e uma tristeza temporárias. Mas nos primeiros reveses desta experiência dolorida, aquele que perdeu precisa de carinho e apoio.
Para quem está próximo, a melhor atitude é estar presente, orientam Kovács e Torres de Melo. “Estar disponível às necessidades do outro e não ao que achamos que são essas necessidades”, explica a professora. Então, ouça, abrace, não necessariamente fale, esteja disposto a resolver problemas de ordem prática e simples. Esse tipo de atitude conforta e não condena o sofrimento do outro.
Fonte: Folha de São Paulo

sábado, 13 de julho de 2013

Dicas para aumentar a prosperidade

1 – Assuma total responsabilidade pela situação
financeira
Parte deste princípio já foi explicitado na introdução acima. Não adianta
reclamar das coisas que você não pode mudar do passado, do país, da sua
família, ou das pessoas que de alguma maneira lhe prejudicaram.
Você precisa criar condições para prosperar, independente de coisas
externas. Lamuriar sobre as forças contrárias desvia o seu caminho, tira a sua
energia e faz de você uma vítima.
Seja qual for a sua situação financeira atual, assuma 100% da
responsabilidade pelo estado atual e pela mudança que você é capaz de fazer.
Mas e as pessoas que me prejudicaram? E o governo? Talvez tudo isso tenha
influenciado, mas você de alguma forma, consciente ou inconscientemente,
permitiu, atraiu ou colaborou para sua atual situação financeira. Não é sua
culpa, porque você fez isso de uma forma muito inconsciente, mas é sua
RESPONSABILIDADE.
Quando paramos de culpar os outros, a nossa energia fica livre para criar
e atrair novas formas de ganhar mais.
Exercício:
Um passo mais profundo para que você possa verdadeiramente assumir
total responsabilidade: perdoe a tudo e a todas que você considera que
contribuiu para as suas dificuldades atuais.
Isso pode parecer difícil. Você pode usar a técnica da EFT (Emotional
Freedom Techniques) para ajudar nessa tarefa e assim ficará infinitamente
mais fácil. Se você ainda não conhece a EFT, acesse www.eftbr.com.br e baixe
o manual gratuito para aprender e poder aplicar o método.
Faça uma lista de tudo e todos que você culpa pela sua atual situação:
governo, pais, irmãos, chefe, sócio, a vida, Deus etc. Quanto maior a lista
melhor, quanto mais detalhada e específica melhor. Lembre de eventos
específicos que você viveu com estas pessoas ou instituições que lhe
provocaram os prejuízos na sua vida.
Cada lembrança certamente trará desconforto emocional: raiva, injustiça,
mágoas etc. Selecione evento por evento, pensamento por pensamento que
venha acompanhado de sentimentos negativos e aplique EFT até eliminar
100% da intensidade emocional. Seja bastante persistente.
Algumas situações vão se resolver com poucas rodadas. Outras talvez
precisem de muitas. Faça o quanto de EFT for preciso até que você possa olhar
para cada situação e dizer “eu perdôo 100% essa pessoa ou esse fato”. Repita
o processo para cada lembrança até sentir 100% do perdão.
Certamente surgirão várias resistências em perdoar 100%. O tema
‘perdão’ exige explicações mais profundas. Na seção de artigos do meu site
www.eftbr.com.br você encontrará textos sobre o perdão que seguramente irão
esclarecer mais essa questão.
Muito provavelmente você poderá sentir raiva de você mesmo por ter
permitido, por ter sido inocente, ingênuo etc. Caso isso aconteça, faça EFT até
limpar a raiva ao ponto que você possa dizer “eu me perdôo 100%”. Isso é
muito importante! Se você não se perdoar, vai arranjar maneiras inconscientes
de se punir e isso é extremamente sabotador.
Agora diga em voz alta:
“Eu assumo 100% da responsabilidade pela minha vida financeira
atual. De forma consciente ou inconsciente, eu criei essa situação
para mim eu me perdôo por isso, e perdôo também a todos que
contribuíram direta ou indiretamente. Eu escolho agora focar em tudo
que eu posso para mudar essa situação. Eu sou 100% responsável
pela mudança”.
2 – Desenvolva a visão de que o mundo é um lugar
abundante, com infinitas possibilidades para todos os seres
humanos
A mentalidade de escassez é o que predomina na sociedade. O
pensamento é de que os recursos são insuficientes, que não há riquezas para
todo mundo prosperar.
Esse pensamento é extremamente sabotador. Faz as pessoas se
sentirem culpadas por desejar ter uma vida mais próspera. A sensação é de
estarem tirando a oportunidade de outras pessoas prosperarem, já que
acreditam não haver o suficiente para todos. Em um nível mais profundo, você
se sente culpado pela fome e pobreza.
Você sente como se o cobertor fosse curto, incapaz de cobrir todo
mundo. Se eu puxo para mim e fico aquecido, tem obrigatoriamente uma
pessoa lá do outro lado que ficou descoberta e está passando frio.
Sentindo tudo isso, obviamente que você dará um jeito de afastar a
prosperidade da sua vida. Até certo ponto você a permitirá, mas haverá um
momento em que você se sentirá culpado e a partir daí irá se sabotar. Esse
limite vai variar de pessoa para pessoa.
Mas a verdade é que existem infinitas formas de se criar riquezas. Novas
fontes são descobertas, se reciclam, criam-se novos serviços a todo momento.
A abundância é ilimitada e é possível que todos a acessem ao mesmo tempo.
Basta que as pessoas criem uma mentalidade de abundância, que confiem em
si mesmas e que tenham as ferramentas intelectuais para isso. A ferramenta
intelectual (educação) é importante, mas a autoestima e a mentalidade de
abundância são tão ou mais importantes.
Para que possamos tornar o mundo um oásis de prosperidade, cada
pessoa deverá se tornar um oásis. Comece por você, aumente a sua
prosperidade e estará contribuindo para um mundo mais próspero.
3 – Doe 10% ou mais de tudo que você ganhar
A prática da doação é bastante poderosa e gera muita prosperidade.
Quando falo sobre isso, algumas pessoas dizem “eu faço doação, me sinto
muito bem”. Maravilha, isso é ótimo. Mas, na verdade, o que a maioria faz é
dar pequenas esmolas: determinada quantia uma vez por ano no natal, R$ 50
para alguma instituição de vez em quando, doação de um quilo de alimento etc.
Tudo isso é melhor do que nada. Mas estou falando de algo consistente,
mensal, 10% ou mais de tudo que você ganha. Pode parecer difícil, ou até
mesmo impossível. Se você não conseguir no início, é normal. Tente 2% no
primeiro mês. Tenho certeza que será fácil. No mês seguinte, aumente para
3%. Faça isso até chegar em 10% ou mais.
Doar é importante por vários motivos. Existe a lei do dar para receber.
Veja que a lei não é o contrário: receber para depois dar. Doe primeiro e o
universo retribuirá. Doe qualquer coisa: tempo, dinheiro, amor, gentilezas e
você receberá benefícios multiplicados.
Algumas pessoas pensam o seguinte: “eu não tenho como doar, só
posso fazer isso quando minha renda melhorar”. Eu vou dizer o contrário:
comece já, e aí você verá as coisas melhorando. Aliás, quanto pior for a
situação financeira, quanto maior for a dívida, quanto maior a pobreza, mais
urgentemente você precisa começar a doar. Repito, se você não conseguir
iniciar com 10%, comece com 2%! Mas comece, e siga até os 10% ou mais.
O dinheiro doado deverá trazer crescimento para as pessoas. Por isso,
evite doações que sirvam apenas para manter pessoas acomodadas no nível em
que se encontram. Há pessoas que justamente por receberem ajuda financeira,
se acomodam e deixam de crescer. Nesse caso, a doação presta um desserviço.
Doe para projetos que você acredita que irão alavancar o crescimento de
outras pessoas (crescimento emocional, educacional, espiritual). Doe para
instituições que lhe inspiram. Pode ser para a sua religião, ou entidade que
pregue alguma filosofia em que você acredita, uma ONG cujo trabalho você
considera sério, uma pessoa que tem um objetivo nobre e que você deseja
ajudar etc.
A doação nos faz sentir mais merecedores. Estamos contribuindo para o
crescimento de outras pessoas, para a melhoria do planeta, algo maior que o
nosso ego e isso amplia nossa sensação de merecimento, que é o tema da
próxima dica.
4 – Seja um bom recebedor
Sinta-se merecedor de uma vida boa e abundante. 99% dos seres
humanos, em diferentes níveis, têm crenças limitantes que dizem “eu não
mereço, não é para mim”. São crenças ligadas à autoestima e que têm várias
raízes: educação, exemplo dos pais, religião etc.
No item 3, falei da doação. Muitas pessoas são ótimas doadoras, mas
são péssimas recebedoras. Se esse for o seu caso, você irá se sabotar para não
receber. Não importa o quanto você doe, o universo tenta dar de volta, mas
você bloqueia, se afasta, dá um jeito de perder oportunidades. A doação só vai
melhorar a sua prosperidade se você estiver aberto a receber. Fique muito
atento a isso!
Boa parte das pessoas que estão em péssima situação financeira se deve
ao fato de simplesmente não saber receber, de achar que não merece. Às
vezes, as pessoas até ganham muito bem, mas, como sentem que não
merecem, dão um jeito de ficar na pior: gastam tudo com outras pessoas,
metem os pés pelas mãos, fazem negócios que dão prejuízo. Atraem ainda
outras situações de perda mais graves: assaltos, incêndios, acidentes. Na
maioria das vezes, essas crenças e não merecimento não estão muito claras e
fáceis de perceber. É preciso que você se observe bem.
Podemos usar também a EFT para limpar essas crenças e assim nos
tornar melhores recebedores. Recomendo que você entre no meu site
www.eftbr.com.br na seção artigos, e procure pelos textos que falam sobre
autoestima.
5 – Dissolva o desespero ou necessidade por ter mais
É paradoxal. Quanto maior a necessidade, parece que mais bloqueamos
o recebimento daquilo que desejamos. É bom que tenhamos o desejo de ter
mais, de melhorar a nossa vida, mas sem a necessidade ou desespero pelo
resultado final. É o desapego. Difícil, não é mesmo? Concordo com você.
Quanto mais feliz ou em paz você estiver, mais fácil será de atrair novas
oportunidades ou de ter idéias criativas. O apego traz ansiedade que é uma
forma de sofrimento. E sofrimento é o contrário da paz interior.
Mais uma vez, podemos usar a EFT para dissolver a necessidade ou
desespero.
Exercício:
Faça uma lista de tudo que deixa você ansioso, nervoso, preocupado em
relação ao tema financeiro (contas, medo de não conseguir pagar, medo de
não conseguir o emprego etc). Agora, pegue cada item da lista e comece a
aplicar EFT para dissolver a negatividade de cada um deles. Exemplos de frases
de preparação que você pode usar:
“Mesmo que eu sinta medo de não conseguir pagar a parcela do carro, eu me
aceito profunda e completamente”.
“Mesmo que eu tenha medo de perder meu emprego, eu me aceito profunda e
completamente”.
“Mesmo que eu me sinta desesperado por não ter o suficiente para pagar tal
conta no final do mês, eu me aceito profunda e completamente”.
Seja persistente. Faça quantas rodadas forem necessárias até sentir-se
em paz. Isso irá deixá-lo muito mais receptivo a novas idéias, insights o que
ajudará a atrair melhores situações.
6 – Faça uma lista de gratidão
Sinta-se grato por tudo que você tem hoje. Conforme falei no item
anterior, quanto mais feliz você estiver, mais fácil será de atrair melhores
oportunidades. Sentir gratidão é uma forma de se sentir mais feliz.
Se você reclama do que tem, gera uma energia de infelicidade, de
lamuria, que é muito nociva. Certamente você sabe que não ajuda. É possível
limpar a raiva ou ingratidão pelo que você tem com a EFT. Assim você se
sentirá mais grato pelo que você tem. Faça uma lista das coisas que reclama e
aplique a técnica. Exemplos de frases:
“Mesmo que eu tenha raiva do meu carro velho, eu me aceito profunda e
completamente”.
“Mesmo que eu não goste do meu apartamento porque ele pequeno (ou
feio, escuro etc) eu me aceito profunda e completamente.”
Seja persistente. Faça quantas rodadas forem necessárias até que você
se sinta em paz. E depois agradeça por tudo que antes você reclamava.
Depois disso, faça uma lista maior de gratidão. Liste pelo menos 30
coisas pelas quais você é grato. Pequenas ou grandes coisas. Podem ser coisas
materiais ou não. Exemplo: carro, casa, roupas, computador, filhos, amigos,
saude, inteligência, conhecimento etc.
Leia a lista todos os dias antes de dormir ou em outro horário que
preferir, e procure sentir realmente gratidão por tudo. O estado de gratidão
fará atrair mais situações pelas quais você se sentirá grato. Este é um exercício
muito poderoso. Quanto maior sua lista e quanto mais sentir gratidão, melhor.
7 – Pare imediatamente de associar sentimentos
negativos ao dinheiro
O dinheiro é algo neutro, uma ferramenta. Pode ser usado para coisas
ruins, mas pode e deve ser usado para coisas boas. É você quem vai dar o
destino. Sempre que você associa o dinheiro a sentimentos negativos, você fará
de tudo para afastá-lo ou perdê-lo.
As pessoas falam que querem uma vida mais próspera, porque o
dinheiro poderá lhes proporcionar conforto, lazer, e ainda poderão ajudar
outras pessoas. Mas, ao mesmo tempo, têm sentimentos em conflito dizendo lá
dentro: o dinheiro é fonte do mal, corrompe, traz desgraças, não é coisa de
gente espiritualizada, dinheiro é sujo etc.
Bem, se você pensa tudo isso, não importa o quanto afirme dizer que
deseja uma vida mais próspera. Uma parte sua não quer ter dinheiro, e você
vai se sabotar por vias que você nem imagina. Tudo que está guardado de
negativo vai influenciar.
Existe uma parte sua que deseja ter e atrair mais, mas por trás há
crenças fazendo justamente o contrário. Para se libertar desses sabotadores,
você precisa identificar as crenças em primeiro lugar, listar todas elas e depois
dissolvê-las. Questione cada crença que surgir. De onde veio essa crença?
Quem contribuiu para a formação dela? Você realmente acredita nela? O
quanto ela está sabotando a sua vida? Você realmente deseja se libertar dessas
crenças?
Finalizando, tenho certeza que, praticando as sete dicas, você certamente irá
melhorar o fluxo da abundância na sua vida. Isso significa atrair e aproveitar
melhores oportunidades de emprego (seja a mudança para um melhor ou
promoção dentro do mesmo) ou oportunidades de negócios, caso você seja um
empreendedor. Além disso, praticando o que foi ensinado você terá diminuição
de perdas financeiras inesperadas como: roubos, acidentes, coisas que se
quebram etc.