sábado, 23 de julho de 2011

Relacionamentos Interpessoais II


Saber o que as pessoas precisam e querem , ouvi-las, demonstrar respeito, não interromper as pessoas, evitar o pré-julgamento, é fundamental para compreendê-las.
O Caráter:
- É permanente;
- Concentra-se nas responsabilidades;
- Valoriza as pessoas;
- Cultiva um legado para o futuro;
- Gera respeito e integridade;
- Mantém você lá.
 Perguntas para ajudá-lo a medir sua integridade:
1. Trato bem as pessoas, mesmo se não tenho nada a ganhar com isso?
2. Sou transparente?
3. Represento um papel, dependendo da pessoa que está comigo?
4. Sou a mesma pessoa, tanto sob os aplausos como quando estou sozinho?
5. Admito rapidamente eu errei sem ser pressionado a isso?
6. Coloco as pessoas acima da burocracia de meu trabalho?
7. Sou a mesma pessoa sempre, ou mudo dependendo das circunstâncias?
8. Quando tenho algo a dizer às pessoas, converso com elas ou falo delas sem a sua presença?
9. Comprometo-me com a honestidade, a confiabilidade e a confidencialidade? Ou comento com meus colegas sobre resultados sigilosos de exames, referindo sobre sua possível patologia?
10. Chego atrasado, na esperança que o colega dê início ao meu trabalho, ou seja, o sobrecarregando?
11. Ataco o problema e não a pessoa? Procuro resolver os problemas e não apontar responsáveis?
12. Tomo a iniciativa de servir?
A interação entre dois seres é sempre delicada, porém a abordagem pode ser o ponto determinante do tipo de relação que será estabelecida.
A sociedade atual cobra muito do indivíduo, as pessoas se sentem na obrigação de parecer melhor que todos e isso acaba se estendendo ao seu próprio lar, de modo que muitas vezes a relação é prejudicada por dois indivíduos tentando superar-se constantemente. É proveitoso que haja o crescimento profissional e emocional dentro do relacionamento, o amadurecimento e estímulo mútuo é imprescindível, porém isso se torna prejudicial no momento em que o sucesso do outro começa a provocar inveja e não mais satisfação.
Questões como quem ganha mais, quem possui melhor cargo, quem é mais sociável, não são relevantes para pessoas que realmente almejam o sucesso do relacionamento. Uma relação envolve duas pessoas que apenas unidas com colaboração poderão alcançar objetivos comuns.
Comunicação inter e intrapessoal:
A capacidade de se comunicar de forma adequada, além de pré-condição para o sucesso da comunicação, traz a necessidade de conhecer a si próprio e o outro.
A comunicação não-verbal envolve postura, gestos, expressão facial, inflexão de voz, seqüência, ritmo e cadência das próprias palavras, e qualquer outra manifestação não-verbal de que o organismo seja capaz As vocalizações, os movimentos intencionais, e os sinais de humor dos animais são comunicações analógicas pelas quais eles definem a natureza de suas relações. Este não é apenas o caso entre animais e entre homem e animal, mas em muitas outras contingências da vida humana, por exemplo, no namoro, amor, socorro, combate".
Dotada de conteúdo e estabelecendo relações, a comunicação se efetiva na interação ou seja, no relacionamento com o outro, que agem no conteúdo da mensagem e na relação que ela estabelece, respectivamente.
O indivíduo que inicia o processo se comunica a partir da visão que tem de si próprio, de como ele se vê, a partir de sua experiência e visão de mundo. O outro indivíduo se relaciona com o primeiro de acordo com a visão que tem dele, de como ele o percebe
Conhecendo a si próprio é que o homem se comunica com mais eficiência. O indivíduo se comporta de acordo com a conclusão que extraiu de sua experiência com o outro. A intimidade e o relacionamento dependem da outra parte desejar o mesmo.
A emoção está relacionada à sobrevivência. As emoções primárias (alegria, tristeza, raiva, medo, surpresa e repulsa) são breves, intensas, incontroláveis e solitárias. São praticamente instintivas. Já as emoções secundárias (amor, culpa, vergonha, orgulho, inveja, ciúme) dependem do outro para serem sentidas.
"Quanto mais o usuário gostar do sistema de saúde, mais provavelmente falará bem dele, quando pedirem sua opinião – ou mesmo sem que a peçam”.
As pessoas confiam muito mais na opinião de amigos e conhecidos do que em anúncios que lêem ou em um porta-voz que elogie o produto.
Se colocar no lugar do paciente/usuário é a maneira mais eficaz de se relacionar com ele. O usuário constitui rica fonte de informação e deve ser tratado como pessoa.
A empatia é muito importante no processo de relação interpessoal profissional de saúde-paciente;
Empatia: “É a capacidade de compreender e aceitação que o profissional precisa ter dos sentimentos do pacientes, e sua habilidade de entender o mundo particular do mesmo, como se fosse o seu próprio mundo”. Empatia é uma visão justa, sensível, e objetiva das experiências de outra pessoa.
Preconceito: Pode ser racial, religioso, não importa quais esses itens de valores podem interferir no desenvolvimento da prestação de serviço do profissional de saúde, que antes de ser um profissional é um ser humano, mas, que foi decidido por ele ser profissional na saúde e que deve ter auto conhecimento, pois, o déficit de auto conhecimento vai impedi-lo de sair de si mesmo para ir ao encontro do outro.

Nenhum comentário: