sábado, 11 de agosto de 2012

Sob a intimidade de orquídea (prostituição infantil)

Quatrocentos milhões de turistas viajam pelo mundo constantemente.Uma parte deles é atraída para os paraísos exóticos, na perspectiva de usufruir de prazeres sexuais com mulheres e crianças.O turismo internacional é um setor muito importante na economia mundial.
O que permitiu que a prostituição fosse implantada e desenvolvesse em várias regiões.A publicidade, a mídia, que exalta o exotismo e a vida fácil desses países desempenhou um papel importante no aumento da prostituição. Muitos turistas viajam para buscar aventuras sexuais que, por serem proibidas no próprio país, são muito caras.
No Brasil, entre outros tantos tipos de exploração infantil, a prostituição avança, aliciando crianças cada vez as mais novas, as quais se prostituiem em praças, avenidas, praias das grandes cidades e nos antigos  garimpos do interior do país. A clientela bastante diversificada, compoe-se de indivíduos de diferentes classes sociais.
Na Tailândia por exemplo, verdadeiros sex-tours são organizados para os turistas, especialmente japoneses. O Japão também é conhecido pela importação maciça de jovens filipinas para seus bordéis.
A partir dos anos 80, os turistas japoneses e australianos se destacaram devido ao alto "consumo" sexual de crianças.
Esses países atendem a uma demanda cada vez maior de turistas provenientas de países ricos, essa realidade configura a evolução das sociedades ocidentais para, como já citei em outras postagens, o individualismo e hedonismo,ou seja, a felicidade e o prazer individual considerados como valor supremo.
A prostituição infantil, raramente é uma ação de indivíduos isolados, pelos grandes lucros há grande interesse de organizações de traficantes em rede internacional.
Eles vendem aos bordéis ou a clientes individuais, nos próprios países ou no exterior.
Entre os clientes dos traficantes, encontra-se organizações de pedófilos que compram crianças para seus membros. Algumas dessas organizações chegam a construir "abrigos" e "orfanatos" para as crianças pobres.O que na verdade, não passa de depósitos de crianças para clientes pedófilos, dos quatro cantos do mundo.
O pretexto dos pedófilos é fornecer apoio moral e afetivo às crianças abandonadas, na verdade é sempre o prazer egoísta que determina a conduta dessas pessoas.
Alguns deles praticam atos de crueldade com as crianças, como queimá-las com pontas de cigarro, além de machucá-las sexualmente.O uso de drogas, oferecidas por essas pessoas, anestesia-lhes o sofrimento físico e a dor moral, além de torná-las dependentes.
Vale ressaltar que, segundo a Convenção das Nações Unidas, criança "é todo ser humano com menos de dezoito anos, salvo se a maioridade for atingida mais cedo, em virtude da legislação aplicada".
Além do mais, os "turistas do sexo" vão atrás de crianças cada vez mais novas, acreditando que, desse modo, estão livres de contaminação da AIDS e outras DST's.
As vítimas da exploração sexual são crianças de ambos os sexos.
Na Tailândia, os agenciadores concedem  "emprestimos" às famílias em troca de suas meninas, a quem oferecem um trabalho garantido, pela quantia recebida, os pais assinam um reconhecimento de dívida.
Assim, se a menina fugir, por exemplo, o agenciador poderá reclamar ao tribunal o reembolso do dinheiro emprestado.
A falta de comunicação verbal com os turistas estrangeiros também faz aumentar nas crianças o sentimento de ser apenas um objeto.
A situação dos meninos, é diferente, muitos deles deixam voluntariamente suas famílias, por falta do que comer e por violência doméstica.
A aprendizagem da prostituição é feita junto com a liberdade, eles aprendem a sobreviver de todas as formas, geralmente fazendo parte de um bando. Os bandos são delinquentes, regulados pela prostituição, a droga, a violência e a rivalidade entre os elementos em busca da liderança desse bando.
Apesar da violência, a prostituição e o dinheiro dão às crianças a ilusão de segurança, e de vínculo afetivo efêmero, quando se trata de um cliente ocasional.
Quando entram em contato com uma rede de pedófilos, os meninos são muitas vezes sustentados por algum tempo.Eles passam a ser o brinquedo de um homem ou mulher rica que divide com eles seu conforto.Mas essa ligação é curta e termina com a adolescência do menino, que é então abandonado, dando lugar a um ou vários outros, mais novos que ele.
Algumas formas de prevenir a prostituição infantil são:
Dar assistência tanto às famílias como às crianças, aplicar sansão penal aos "clientes", proteger crianças migrantes e não migrantes prostituídas, não demonstrar discriminação, dar maior atenção ao tráfico internacional de crianças, incentivar a troca de listas de pedófilos para que essas cheguem as mãos da polícia, estimular a educação e aumentar a sensibilização.

Nenhum comentário: