sábado, 29 de setembro de 2012

Menos orgulho trás mais felicidade


Se você não sabe exatamente quanto pesa ou quanta influência tem o seu orgulho sobre seus pensamentos, sentimentos e decisões saiba que ele começa sempre como uma voz. Uma voz tagarela, incessante, que não para de falar dentro da sua mente. Essa voz quer convencê-lo de que o melhor a fazer é continuar nutrindo essa raiva ou o que poderíamos chamar de indignação.
O orgulho é comparado a sentimentos ruins e tensos porque ele vem sempre seguido da equivocada impressão de que você está certo e o outro está errado, seja pelo que fez, pelo que disse ou simplesmente por ser quem ele é do jeito que é! Como se você fosse ou ao menos estivesse, neste momento, superior, melhor, mais certo.
O orgulho impede de ver nossos defeitos, faz com que nós justifiquemos sempre nossas atitudes, nós não admitimos ser criticados, acreditamos ser mais importante que o outro e acreditamos também que somos mais importantes que o outro.
O orgulho atrapalha nossas vidas porque nos tira o foco, é uma atitude de independência negativa.
Se seu orgulho está se sobrepondo aos seus sentimentos leves e gostosos, tais como alegria, paciência e capacidade de relevar, o mais inteligente mesmo é você começar a se responsabilizar e pensar sobre essa atitude. Acredite que quem manda em seus sentimentos é você mesmo e o orgulho provoca doenças psíquicas, pois trás consigo raiva, rancor, e várias sensações incômodas que só atingem a você mesmo. E só quem pode mudar essas sensações é você e mais ninguém.
Sendo assim, a pergunta é: o que você realmente quer fazer em relação a essa pessoa ou situação? Convenhamos que, se não for importante, nem vale a pena se desgastar. Mas se for importante, será que vale a pena insistir neste orgulho que mais serve para roubar a sua paz e o seu prazer de viver do que para resolver ou lhe fazer algum bem?
Quantos amores, amizades e prazeres você  já perdeu por causa de sentimentos como raiva e ressentimento? Quantas vezes já sofreu à toa por decidir não dar o braço a torcer numa discussão ou por não reconhecer e admitir que desta vez foi você quem errou? Quantas vezes amargou a solidão e pôs a perder um dia feliz simplesmente por orgulho? Orgulho bobo, infantil e inútil.
Que tal arriscar uma nova atitude, um novo comportamento? Que tal testar um novo jeito de ser? Você não tem nada a perder! Pelo contrário, só tem a ganhar! Que tal prestar mais atenção no seu mau-humor e interrompê-lo com uma gostosa e inteligente gargalhada de si mesmo? 
Que tal ser humilde, a humildade, não é negar suas qualidades, não é falsa modéstia, é se valorizar quando percebemos que outras pessoas querem nos colocar para trás.Interagindo com o outro, mesmo sabendo que ele quer nos humilhar, não se deixando atingir por picuinhas, se valorizando pelo que você é, e não pelo que os outros pensam de você.  Para se sentir superior, não precisa humilhar ninguém, nem sentir orgulho de si mesmo, basta  se dar valor pelo que você realmente é, enquanto pessoa.
Não espere chegar à beira da morte para se dar conta do que realmente importa em sua vida. Quando a gente descobre que a vida pode acabar em um segundo, de uma hora para outra, nossos sentimentos ganham novos valores, valores bem mais reais.

O fato é que damos importância demais ao que, muitas vezes, não tem importância nenhuma. E se tem alguma, poderia ser tratada de forma bem mais flexível. Não pelo privilégio que vai oferecer ao outro, mas, sobretudo, pelo imenso bem que vai fazer a si mesmo.

E assim, cada vez que relevar, perdoar, esperar, não brigar e reconhecer quando errar. Mais fracos e sem sentido vão ficar o seu orgulho, a sua raiva e o seu ressentimento. E consequentemente mais leve, mais divertido, mais bonito você vai se tornar e tornar sua vida! Mais incrível e inesquecível será conhecer e se relacionar com uma pessoa como você!

Um comentário:

MEUS POEMAS disse...

Gostei! Esse texto trás uma lição de vida para todos nós.
O orgulho trás tanta inquietação mental que não deixa nem a gente meditar para ter paz de espírito.
A impressão que eu tenho é que quando vamos meditar, o Ego com ciúme da gente fica nos cutucando no coração e não deixa a gente ir em busca do Eu espiritual.
O orgulho faz a gente perder oportunidade na vida.