quarta-feira, 18 de abril de 2012

Fofoca no Trabalho

Ainda que a intenção não seja prejudicar o outro, a fofoca normalmente não acaba bem. Ela começa pequena e, conforme é passada adiante, vira uma bola de neve. No ambiente de trabalho as proporções são ainda maiores: várias pessoas convivem diariamente e nem sempre têm afinidade. Para evitar problemas futuros com a fofoca, o ideal é passar longe das conversinhas sobre a vida alheia no seu local de trabalho, mesmo que nem sempre seja fácil.

Para quem não quer ser vista como antissocial, mas também não quer participar do clube dos fofoqueiros,  um posicionamento neutro é a melhor solução,se você está no meio de um grupo e começam a comentar da vida alheia, simplesmente ouça, mas não opine. Agora, se perguntarem o que você acha, procure dar respostas mais vagas e mude de assunto o mais rápido possível.

Além disso, não passe adiante o que ouviu. Primeiro, porque você pode estar ajudando a disseminar uma intriga. Segundo, porque dependendo da política da empresa é possível levar uma advertência ou até mesmo perder o emprego, caso os comentários cheguem aos superiores. A fofoca é algo viral, um passa para o outro até que todo mundo esteja sabendo. Isso gera um situação desagradável dentro da empresa e muitas vezes por algo que nem é verdade.

Se você foi vítima de fofoca e realmente foi prejudicada pelos comentários maldosos de seus companheiros, ficar calada não é uma boa opção. Se o caso não for tão grave, o melhor é deixar para lá.
Agora, se você não é exatamente a vítima da situação, amanhã o alvo de comentários pode ser você. Além disso, a fofoca não tem nada de útil: Há quem conte tudo para o chefe achando que assim vai manter o emprego ou quem acredite que contar para um companheiro o que ouviu sobre ele vai ajudá-lo de alguma forma. Mas comportamentos desse tipo só vão torná-la malvista dentro da empresa.

Nenhum comentário: