sábado, 29 de outubro de 2016

Carência: A ausência de si

Uma pessoa carente não olha para si mesma, é uma pessoa que sente um imenso vazio que nunca é preenchido, nunca é saciado.
Ela precisa está com alguém e isso a deixa pegajosa, ciumenta, muitas vezes chorosa e principalmente insegura.
Essa carência pode surgir de várias formas, mas a principal é quando a pessoa não conseguiu ter afeto das figuras importantes na sua vida, por exemplo, a mãe, um marido muito amado, um filho que abandona o lar, etc.
É bastante complicado isso, muitas vezes nasce um outro filho e a mãe deixa o primogênito de lado e isso acontece na maioria dos casos.Algumas vezes passa a hostilizá-lo, ou diz depois de um tempo que não desejou tê-lo, que o mesmo deveria ter sido abortado, que prefere o outro filho.
Ah, isso cria feridas irreversíveis, trazendo para o individuo a carencia que o deixa vulnerável pára o resto da vida.
A carência, como digo, é um buraco sem fundo, queremos atenção, atenção e mais atenção, nos tornamos presas de sociopatas, muitas mulheres não hesitam em passar seus bens a um homem que fingem ter carinho por elas e depois que os mesmos conseguem seu intento, óbvio, deixam-nas.
O que pode ser feito, terapia, colocar toda essa dor para fora, aprender a lidar com esse sentimento, cuidando de si mesmo, fazendo atividades, interagindo com outras pessoas, se sentindo valorizado.
Cuidando para não ver amor onde ele não existe, entendendo que se  a carência for de figuras parentais, essa nunca irá ser suprida com o amor romântico dado por um homem ou mulher, essa se terá que conviver e é aí que pode-se confundir as coisas.
Mas em todo caso a terapia fará voce aceitar essa perda, porque a perda do carinho demora, ou não cicatriza, e temos que lidar com ela, como já disse, e para isso a ajuda de um profissional é essencial.

Nenhum comentário: