segunda-feira, 17 de março de 2008

Como reconhecer os sinais de violência sexual em crianças e adolescentes


A violência sexual ocorre quando alguém de mais idade faz uso do corpo de uma criança ou adolescente, buscando sentir prazer sexual.Essa violência pode se expressar de duas formas: a agressão e o abuso sexual.No primeiro caso, o agente da agressão faz uso da coação física ou psicológica para obtenção de sua finalidade, como ocorre no estupro;no segundo caso, o agente agressor vale-se da sedução, como ocorre com o pedófilo, que oferece uma bicicleta à criança para com ela praticar atos de natureza sexual. As vítimas da violência sexual podem ser meninos e meninas, sendo esta praticada por homens ou mulheres.
A exploração sexual tem como propósito a obtenção de lucro através da comercialização do corpo de crianças e adolescentes, ou da veiculação de materiais como fotos,vídeos,filmes, pornográficos ou não, seja por meios convencionais ou pelas ondas da internet.
Os agentes agressores, na maioria das vezes, são pessoas que apresentam um comportamento normal no dia-a-dia e geralmente fazem parte do grupo familiar ou são próximas da família.Podem ser amigos, conhecidos, vizinhos,parentes, mas também pessoas completamente desconhecidas.
Algumas crianças chegam a referenciar o agente da agressão como uma pessoa de tamanho grande e forte, dona de um poder absoluto, deixando-as sem condições de reação, assustadas e caladas, na tentativa de justificar a agressão sofrida. Essa referência expressa um sentimento de inferiorização e desproteção em relação ao agente da agressão ( algumas vezes extensiva a outros familiares).
Para as vítimas da violência sexual, não é fácil denunciar, já que estas sofrem ameaças constantemente.Quando o fazem, a narração se dá com extrema dificuldade.
Além da violência sofrida, elas têm ainda que enfrentar o constrangimento da exposição de suas vidas e da agressão sofrida para profissionais, pessoas que geralmente não estão treinadas e sensibilizadas suficientemente para tal abordagem.
Há também, uma dificuldade de enfrentar a família e se fazer acreditar, pois a criança e o adolescente são vistos como pessoas de muita imaginação ou até mesmo mentirosos.Nesse momento, eles precisam ser ouvidos e não investigados, apoiados e não recriminados, acreditados e não reprimidos.A compreensão do fato em si é um importante pré-requisito para que as crianças e adolescentes possam superá-lo, possibilitando um desenvolvimento sem sequelas.
O sofrimento envolve também todas asa pessoas que estão em sua volta.Denunciar é um momento delicado para todos- o ambiente familiar desestruturado, seus membros fragilizados com toda situação conflituosa.
Alguns sinais de comportamentos emocionais, quando apresentados, também devem sr investigados:
  • Inquietação, tristeza profunda, comportamento amuado, isolamento;

  • sexualidade precoce nas crianças menores e exacerbada para as maiores;

  • resistência para realizar exames médicos;

  • fugas constantes e resistência para voltar para casa;

  • rebeldia/agressividade;

  • mudanças repentinas de comportamento;

  • comportamento abaixo do esperado para a idade ( regressão);

  • choro frequente;

  • hábito de urinar na cama;

  • tentativa de suicídio;

  • problemas com o sono (pesadelos, insônia);

  • dificuldades de aprendizagem e de concentração;

  • sentimento profundo de insegurança, medo, culpa, etc...
As crianças com menos idade são o alvo preferido dos autores desse tipo de agressão, pois obedecem sem questionamentos, intimida-se com facilidade, mantendo segredo do ocorrido;poucas são as que têm coragem de relatar a situação, devido às ameaças que sofrem.A violência sexual pode ainda levar:
  • A uma confusão por parte da criança e do adolescente das relações que possam ser estabelecidas com os adultos, pois no caso da violência sexual essas relações passam a se basear na utilização de sua sexualidade e na violência;

  • A uma descaracterização dos papéis a serem desempenhados por alguns adultos- pai,avô, tio,irmão,professor, religioso, que de protetores e orientadores passam a ser percebidos pela criança/adolescente como causadores de sofrimento.
- Como intervir em uma situação de violência sexual:

1- Observar se a situação exige de imediato um atendimento médico, se é uma emergência, se quem sofreu violência corre algum risco de saúde, para que se procure atendimento médico o mais rápido possível.

2- Pode-se procurar uma entidade governamental/não governamental que defenda os direitos das crianças e adolescentes.

3- Procurar o Conselho Tutelar que irá receber a denúncia e encaminhará para a Delegacia da Criança e do Adolescente( DPCA),para registrar ocorrência.O delegado solicitará o exame pericial necessário para a investigação no instituto médico legal.

4- Se não tiver conselho tutelar, deve-se procurar o juiz ou promotor de justiça, na ausência desses, uma delegacia para a denúncia, que poderá ser anônima,para isso é necessário repassar corretamente os dados da criança ou adolescente, idade aproximada, nome dos pais ou responsáveis, endereça completo com ponto de referência e detalhes da situação de violência.
O mais importante é não ter medo ou vergonha, pois ao esconder uma situação destas se está colaborando para a impunidade e o descaso com a juventude.
O número de páginas denunciadas por divulgação de pedofilia e exploração sexual de crianças dobrou entre 2006 e 2007 no País, segundo a organização não-governamental (ONG) SaferNet, que cuida da Central Nacional de Denúncias por Crimes Cibernéticos. Esse estudo vai ajudar nos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, que começa a funcionar hoje.
De acordo com o presidente da SaferNet, foram feitas 267.470 denúncias a respeito de 38.760 páginas com esse tipo de conteúdo, ante 121.635 denúncias feitas em 2006, sobre 17.148 páginas. Ele acredita que o aumento de 126% nas denúncias está relacionado ao crescimento do número de usuários de internet, que sobe em média 20% ao ano no Brasil.
O crescimento das redes de relacionamento também pode justificar o aumento das denúncias. Segundo a SaferNet, das s páginas denunciadas estão relacionadas ao Orkut,Facebook, site de relacionamentos com perfis e comunidades virtuais. O fato de essa e outras páginas estarem hospedadas em servidores fora do Brasil costuma trazer o mito de que brasileiros não se interessam por esse tipo de conteúdo, mas o presidente da SaferNet adverte que esse é um crime muito praticado aqui.
Como a ONG trabalha em cooperação com o Ministério Público Federal (MPF), as denúncias relativas aos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Goiás e Paraná são encaminhadas para o MPF. Nos outros Estados, são entregues para o Departamento de Direitos Humanos da Polícia Federal. Só em São Paulo existem mais de 400 investigações em curso baseadas nas denúncias da SaferNet.
Para tentar barrar o avanço da pedofilia, a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito sobre a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, que encerrou os trabalhos em 2004, propôs um projeto para alterar a lei que pune a divulgação desse tipo de abuso na internet. Atualmente, é crime apenas produzir e passar as imagens adiante, na forma de divulgação, venda ou apresentação.


11 comentários:

Lola disse...

Débora,
Passa lá no "Consciência" e tenta responder ao pedido de ajuda de alguma forma.
Beijos.

Cristiane Fetter disse...

Oi Silvinha, vim aqui agradecer a sua participação na divulgação do problema do Luís Flávio.
Obrigada, obrigada, obrigada

Lola disse...

Oi, Silvinha,
Desculpe ter trocado seu nome com o da Débora, estava fazendo o pedido de ajuda para várias pessoas e troquei o de vocês...
Obrigada pela ajuda!!!
Beijo.

RAMOSFOREST.ENVIRONMENT disse...

Parabéns por seu tema. Oportuno e relevante.
abraços
Luiz Ramos

Edimar Suely disse...

PAra mim, este é o pior crime/delito e pode cometer, é imoral.
Passando para conferir as 9dades e desejar uma feliz páscoa e muita paz.

Smack!

Edimar Suely
edi_suely.blig.ig.com.br

Sta. Cris disse...

Oi Silvinha...adorei o seu espaço, e o post então nem se fala, extremamente importante ja que a família geralmente demora para perceber a diferença no comportamento da criança vítima de abuso. Ahhh vou te colocar no meu Blog para não esquecer de te visitar com frequência. Abraços!

Thay disse...

topo sim!
já add seu link lá! ^^
e obg pelo comentário.

beijinhos

Emerson Cardoso disse...

Que bom que se interessou... vamos trocar links sim... estou tentando colocar no meu... Ótimo o seu blog! abraço!

Links & Sites - Seleção dos Melhores Sites do Brasil! - disse...

L i n k s & S i t e s
Seleção dos melhores Sites do Brasil!
http://www.lksites.com

Parabéns pelo seu Blog!!!

Você está fazendo parte da maior e melhor
seleção de Sites do País!!! - Só Sites Premiados -
Selecionado pela nossa equipe, você está agora entre
os melhores e mais prestigiados Sites do Brasil!

O seu link encontra-se no item:
" CANAL 3 " => Blog = Letra E

http://www.lksites.com/blog

- Os links encontram-se rigorosamente
em ordem alfabética -

Pegue nosso selo em:
http://www.lksites.com/selo

* Aproveite e insira também nossa "Janelinha" no seu Site.
Veja como => http://www.lksites.com/janelinha/janelinha.shtml

Seus visitantes irão adorar!!!

Um abraço,
Dário Dutra
- Webmaster -

http://www.lksites.com/
....................................................................

Lola disse...

Oi, Silvinha, só agora tive um pouco de tempo para ler teu post, achei ótimo, me preocupo muito come ste assunto...
Beijos, moça.

Dourado disse...

Bom saber desses sinais, assim fica mais fácil um 'diagnóstico', fico preocupado quando vejo crianças com algum comportamento sexual mais avançado

abraços