sexta-feira, 3 de abril de 2015

Gladiadores do Altar X Extremistas Muçulmanos



Um vídeo publicado pela Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) do Ceará na internet mostra jovens marchando, batendo continência e gritando que estão "prontos para a batalha" durante um culto realizado em Fortaleza.

Os jovens fazem parte de um programa da igreja chamado Gladiadores do Altar, voltado à preparação de rapazes de "diversas idades para servir a Deus no Altar", segundo informa o site da Iurd. O programa, que é ligado à Força Jovem Universal, foi lançado no ano passado.

"O projeto realiza reuniões semanais com os rapazes que estão dispostos a abrir mão de suas vidas para que outras pessoas sejam ajudadas, cumprindo assim o que Jesus disse: 'Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura'", diz o site da Universal.

A igreja publicou o vídeo no Facebook no dia 15 de fevereiro e, até a noite desta segunda-feira, 2, tinha mais de 921 mil visualizações. Na gravação, dezenas de rapazes surgem marchando até o pé do altar, onde fazem uma espécie de juramento, no qual afirmam que "estão prontos para a batalha".
"Graças ao Senhor hoje estamos aqui prontos para a batalha, e decididos a te servir. Somos gladiadores do seu altar. Isso é uma decisão. Todos os dias enfrentamos o inferno confiantes em sua santa proteção", gritam os jovens. Ao fim do discurso, perguntados pelo condutor do juramento "o que os gladiadores querem?", eles respondem em coro: "O altar, o altar, o altar".

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) postou uma foto dos Gladiadores do Altar em seu perfil do Instagram, com um texto no qual se diz chocado com a "milícia" que, segundo ele, vem sendo formada pelo "fundamentalismo religioso do País".
O cartunista paulista Vitor Teixeira é o centro de uma polêmica que coloca em debate a liberdade de expressão no Brasil e que reacendeu o debate sobre liberdade de imprensa após o recente episódio francês do massacre em Charlie Hebdo — tomando, é claro, as devidas proporções.

Por conta de uma charge (imagem acima) que criticava a formação do polêmico grupo Gladiadores do Altar, da Igreja Universal. A igreja entrou com notificação extrajudicial na qual pedia a retirada do ar da página do cartunista no Facebook. Após negociação, ele deletou apenas a imagem e seguiu com seu trabalho no local.

“Eles [Universal] me mandaram  uma notificação na qual pediam para eu deletar a página. Acontece que ali está meu trabalho e, sem ela, eu não tenho como trabalhar. Então sugeri apenas que a imagem fosse retirada e eles topara”, afirma Vitor em entrevista ao Yahoo.

A situação, porém, abriu precedente para a discussão sobre a censura. O cartunista nega que tenha se sentido censurado, preferindo usar a palavra “pressionado”. Vitor cita que, por conta do poder financeiro e midiático da Universal, sentiu-se pressionado a retirar a charge, que ele faz questão de apontar como uma crítica apenas aos Gladiadores e não à Universal ou qualquer um de seus fiéis.

“Acredito que cada indivíduo tem o direito de ter sua fé e acreditar no que quiser, minha crítica nunca foi contra isso, é específica ao grupo”, afirma ele. “Sempre deixo claro que minha intenção é essa, de criticar o grupo e, agora, com toda essa repercussão, falar sobre liberdade de expressão”.

Logo que a charge foi retirada do ar, internautas manifestaram seu descontentamento com a atitude da Universal e compararam o caso com o massacre da revista Charlie Hebdo, na França, que foi invadida por extremistas muçulmanos por conta de uma charge satírica feita com o profeta Maomé.
Acredito que essas pessoas estão em dois grupos ou são ignorantes demais e passaram por uma lavagem cerebral devido a o excesso de credulidade, ou tem impulsos agressivos que precisam ser tratados.
A falta de respeito deles me causa nojo.
Na casa do meu Pai existem várias moradas, será que esse grupo está pensando que essas moradas são casinhas, porque na verdade, são várias religiões que estão ligadas pelo mesmo poder de Deus.
 

Nenhum comentário: