sexta-feira, 1 de maio de 2015

Como fugir da fofoca



A fofoca é uma compulsão humana. A fofoca existe há milhares de anos e um pesquisador americano, Frank McAndrew, diz que ela é um instinto, e que foi essencial para a evolução da nossa espécie. Porém, não são poucas as pessoas prejudicadas diariamente por esse hábito.
Primeiro: Se você fica falando sobre a vida alheia, abre espaço para que os outros falem da sua.
Segundo: As pessoas que estão ouvindo os comentários, sejam eles do bem ou do mal, vão pensar: um dia ela também pode falar de mim. E assim sendo, o fofoqueiro vai acumulando antipatias.
Terceiro: Quando for falar algo sobre alguém, ou ainda, quando estiver em uma roda e alguém começar a contar a ‘última’ para o pessoal, pare para lembrar-se das vezes que falaram sobre sua vida.
Ter alguém com quem conversar é muito importante, mas preste atenção e conheça muito bem a pessoa que escolheu para abrir suas questões. Crie relacionamentos confiáveis e duradouros. Do contrário, quem é que vai ter coragem para falar de você? É muito importante ser sempre uma pessoa transparente, sincera e amiga.
 Assim como é impossível erradicar a fofoca sobre você, também não dá pra viver sem se interessar pelo que acontece com os outros. Mas antes de passar à frente um assunto, verifique a realidade dos fatos, cheque varias fontes de informação e sua confiabilidade. Se ela for do bem, e verdadeira, não há tanto problema em comentar. O problema está nas más intenções e nas invenções. Verifique também se este assunto lhe diz respeito, se você perde ou ganha com ele. Este tempo para pensar muitas vezes faz você perder a vontade de falar.
O que falam sobre você pode ser um feedback sobre suas atitudes e comportamento. Geralmente as fofocas são negativas, mesmo assim, analise o que está sendo dito. Você pode estar provocando este tipo de comportamento nas pessoas.
O maior sofrimento para os fofoqueiros é sentir que seu veneno não enfraqueceu a vítima. Não alimente o que está sendo dito, seja se defendendo com justificativas ou partindo para agressão verbal ou física.
 Quem faz fofocas tem um poder de sedução sobre pessoas ainda mais inseguras que elas, portanto, se você der bola estará incentivando a fofoca. A polêmica faz com que o assunto fique mais interessante.
Ser fofoqueiro(a) também pode ser como uma doença. Quanto mais fizer, mais fará, e pior é que será vista e classificada como tal
E, finalmente, não esqueçamos que a palavra constrói ou destrói facilmente e, em segundos, estabelece, por vezes, resultados gravíssimos para séculos.

Nenhum comentário: