sábado, 27 de fevereiro de 2016

Menopausa Precoce

A maioria das mulheres entra na menopausa “natural” entre os 45 e 55 anos.
A menopausa precoce ou prematura é causada pelo envelhecimento dos ovários antes do tempo, ocorrendo a perda de óvulos em mulheres com menos de 40 anos, o que traz problemas de fertilidade e dificuldades para engravidar em mulheres mais jovens. Em uma fase inicial, o envelhecimento precoce dos ovários pode ser um problema silencioso, que não causa sintomas, pois a mulher pode continuar tendo a menstruação, e sem saber pode estar caminhando para uma menopausa precoce. Porém, já existe um teste para avaliar a fertilidade, que pode ser feito por mulheres mais jovens para avaliar o seu risco de vir a desenvolver a menopausa precoce.
Geralmente, entre as principais causas da menopausa precoce estão a idade, pois é mais comum entre os 35 e os 40 anos, e história de falência ovariana precoce na família, e o primeiro sintoma que surge é a menstruação irregular ou a falta de menstruação. O tratamento pode ser feito com terapia de reposição hormonal, para ajudar a reduzir sintomas e a evitar a perda de massa óssea.
 É o quadro clínico que se apresenta quando a mulher entra na menopausa antes dos 32 anos, ou seja, período em que ela fica um ano ou mais sem menstruar com sintomas específicos. A menopausa precoce não é um distúrbio hormonal, mas a falência ovariana em uma mulher jovem. A falência ovariana prematura (FOP) é a perda temporária ou definitiva da função gonadal (de produzir hormônios) que acontece após a menarca (primeira menstruação) e antes dos 40 anos de idade. Ela é caracterizada pela diminuição do número de folículos ovulatórios (óvulos) e é exatamente essa condição que vai gerar alteração hormonal. 

Causas da Menopausa Precoce

O envelhecimento antecipado dos ovários pode levar a uma menopausa precoce, e esta pode ser causada por fatores como:
  • Alterações genéticas no cromossomo X que podem ser diagnosticadas através de um exame genético;
  • Mãe ou avó com histórico de menopausa precoce;
  • Doenças autoimunes;
  • Deficiências enzimáticas como a Galactosemia, uma doença genética causada pela falta da enzima galactose, podem levar ao aparecimento da menopausa precoce;
  • Quimioterapia e exposição exagerada a radiações como ocorre na radioterapia, ou a certas toxinas como as do cigarro ou dos pesticidas;
  • Algumas doença infecciosas como Caxumba, infecção por Shigella e malária, podem também raramente provocar a Menopausa Precoce.
Além disso, a retirada dos ovários através de cirurgia em casos de tumor ovariano, doença pélvica inflamatória ou endometriose, por exemplo, também provoca a menopausa precoce na mulher, pois não existem mais ovários para produzir estrogênio no corpo.

Sintomas e diagnóstico da Menopausa Precoce

Geralmente, em uma fase inicial, o envelhecimento precoce dos ovários pode ser um problema silencioso, que não causa sintomas, pois a mulher pode continuar tendo a menstruação como de costume, e sem perceber pode estar caminhando para uma menopausa precoce.

A menopausa precoce é causada por uma deficiência na produção do hormônio estrogênio no organismo, e causa sintomas idênticos aos da menopausa como:
  • Ciclos menstruais irregulares, com intervalos longos, ou ausência completa de menstruação;
  • Instabilidade emocional como mudanças bruscas de humor e irritabilidade sem causa aparente;
  • Diminuição da libido e falta de desejo sexual;
  • Ondas de calor repentinas, que surgem em qualquer ocasião e inclusive em locais frescos;
  • Suor excessivo, especialmente durante a noite;
  • Secura vaginal.
  Suores noturnos; Irregularidade menstrual  o fluxo menstrual vai diminuindo progressivamente. De vez em quando pode tornar-se abundante, parar por alguns meses, reaparecendo depois em ciclos esparsos.Além de:

    •  Incontinência urinária  por perda de tônus da bexiga
    •  Dores de cabeça;
    •   Alterações na pele e nos cabelos
    •   Insônia e cansaço
    •   Perda de memória
    •  Aumento de peso
    •   Perda de força muscular
    •   Perda de massa óssea, com decorrente risco de osteoporose
    •   Nervosismo, irritabilidade
    •    Tensão, ansiedade
    •  Depressão 
    •  Inchaço dos seios e do corpo
    • - Náuseas e distúrbios gastrointestinais
    • - Dores musculares e nas juntas
    • - Queda de cabelo
    • Ciclos menstruais irregulares (com intervalos longos ou com ausência de menstruação) que podem aparecer após a gestação ou após a parada do uso de pílula anticoncepcional;
O diagnóstico da menopausa precoce deve ser realizado pelo ginecologista, e é geralmente feito quando existe ausência de menstruação ou quando esta é irregular, e através da realização de exames de sangue que permitem a dosagem dos hormônios FSH, estradiol e de prolactina, de um teste sanguíneo de gravidez que avalia a possibilidade de gestação ou de um teste genético.
Quando não existem sintomas, o envelhecimento prematuro dos ovários é geralmente diagnosticado apenas quando a mulher esta tentando engravidar e tem dificuldade, ou quando realiza tratamentos com hormônios para avaliar sua fertilidade.
Além disso, o envelhecimento prematuro dos ovários pode causar outros problemas além da diminuição do número de óvulos, como aumento das chances de aborto, má qualidade dos óvulos que restam ou maiores chances de doenças genéticas, risco aumentado para desenvolver doenças cardíacas ou doenças ósseas como osteoporose, e maior tendência para ter problemas de depressão ou ansiedade.

Tratamento da Menopausa Precoce

O tratamento da menopausa precoce é feito através de tratamentos de reposição hormonal com estrogênios, que servem não só para aliviar os sintomas causados pela falta de estrogênio no organismo, como também para manter a massa óssea e evitar o surgimento de doenças como a osteoporose.
Além disso, para diminuir os sintomas da menopausa precoce o tratamento pode ser completado com a prática de atividade física regular, com uma dieta rica em soja, castanha e gengibre, por exemplo, e com suplementos alimentares como a lecitina da soja, de acordo com indicação do médico. Além disso, na alimentação deve ser evitado o consumo de cafeína, de chá verde e de chá preto, e de alimentos ricos em gorduras.
Em casos onde a mulher pretenda engravidar, dependendo do envelhecimento que os ovários apresentam, podem ser feitos tratamentos de fertilidade como fertilização in vitro ou estimulação dos ovários com hormônios.
É importante compreender que a diferença entre menopausa precoce ou prematura em relação a pré-menopausa, a fase em que temos os últimos ciclos, onde as mulheres não tem sintomas e têm uma vida reprodutiva ativa. De acordo com alguns estudos, cerca de uma mulher em cada 10, que foi diagnosticada a menopausa precoce pode engravidar. A razão pela qual ainda não está claro, mas se você não quer ter um bebê, você deve continuar a usar métodos contraceptivos.
 Embora estresse não possa causar menopausa precoce, desempenha um papel importante na gravidade e frequência dos sintomas.

Dicas para conseguir e se manter saudável incluem:
  • Uma dieta rica em fibras, com muitas frutas, legumes, cereais integrais e gorduras saudáveis.
  • Quantidades adequadas de vitaminas e minerais, incluindo cálcio e vitamina D para ajudar a prevenir a perda óssea.
  • Encontrar e manter um peso saudável para você.
  • Se você fuma - parar de fumar. Nunca é tarde demais para parar.
  • Mova-se. A atividade física é vital para a sua saúde geral. Os adultos devem ter como objetivo pelo menos 2 horas e 30 minutos (150 minutos) por semana de atividade aeróbica moderada e dois ou mais dias da semana de maior fortalecimento muscular.
  • Converse com seu médico sobre exames recomendados e check-ups. É importante saber quando você vai precisar de exames como mamografias, vacinação, vacinas contra a gripe e check-ups, como exames de pressão arterial.

Nenhum comentário: